https://www.poetris.com/
Poemas -> Tristeza : 

O vento que flutua no silêncio

 
Chora a alma no silêncio da madrugada
Sem que ninguém possa ouvir
A desilusão que sufoca o coração
E o empurra para o abismo sem fim.
Uma tristeza sem limites
Como dinamites a explodir o sentimento
Derrubando-o pela escarpa do tempo
Que não passa...tortura!
Medo e sobressalto
Nas vozes que perturbam-me
Minha alma está destroçada
Misturada a ossos e poeiras.
Destruição que arromba os meus olhos
Num sentimento de angústia
Que culmina em ruínas de lágrimas.
Mágoas soterram o meu rosto
E vivo sob entulhos de escuridão
Meu coração vive em pulsação
Nas realidades de sonhos nos escombros.
Os ruídos perturbam a minha mente
E, no chão, desabo desconsolado
Onde meus passos são desmantelado
Por um caminho triste e inóspito.
A madrugada não termina
E minha dor arrasa-me a alma
Meus prantos não podem ser ouvidos
Pois o vento flutua no silêncio.
Os gritos são abafados na escuridão
Que dilacera o meu sentimento
Na solidão das minhas noites
Não há uma razão para a esperança.

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

 
Autor
Odairjsilva
 
Texto
Data
Leituras
103
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
12 pontos
2
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
IsabelRFonseca
Publicado: 13/03/2019 17:07  Atualizado: 13/03/2019 17:07
Colaborador
Usuário desde: 25/05/2013
Localidade: Algures em Portugal
Mensagens: 2718
 Re: O vento que flutua no silêncio


Excelente

A madrugada não termina
E minha dor arrasa-me a alma



Um abraço poeta Odairjsilva