https://www.poetris.com/
Poemas : 

Afogando-se

 
Águas, multidões
Cercado por vozes de ondas
Torrente incontrolável
Humano, sentiu
O silêncio da escuridão
A calmaria do fim
Diante de si

Rezar, se arrepender
Pedir perdão por não ter feito
Tudo o que deveria fazer
Esperar, sem desistir
Ele não controlava o fim,
Mas sabia que o que controla
Estava ali

Restava tão somente
A ele concluir
O quão impontente era
O quão pequeno era
Quem o tirou do pó da terra?
Quem formou do nada as águas?

Todavia, um anjo desceu
Vestiu-se de vermelho, segurou-lhe as mãos
Nadou e nadou, inundou seus pulmões
Da morte o tirou, por ordem do Senhor
E ele aprendeu
Que nada é o homem, que nada leva o homem
E que tudo depende da vontade de Deus

(Caso detecte algum erro ortográfico por favor avise nos comentários)

 
Autor
neon
Autor
 
Texto
Data
Leituras
94
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.