https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Poema da Tristeza

 
Tags:  dor    tristeza    ferida  
 
As vezes me pergunto,
o que fiz para ser condenada desse jeito.
Na hora de aperto, no meu silêncio,
a dor bate no peito!
Uma lágrima, depois mais algumas
e o choro como desabamento!
Choro em silêncio!
Vontade de gritar para o mundo,
mas não posso, é como segredo, é profundo!
O que fiz para ser condenada desse jeito?
Passar por situações que me ferem a alma,
ter que fazer escolhas entre o meu eu e o seu eu.
Nada disso almejei!
É ferida que dói, que maltrata.
Saudade...?
Faz falta... muita falta,
se fosse sem ela, seria diferente,
hoje o meu sorriso está ausente
e o meu poema está diferente.
Mas quem me condenará?
O mundo?
Por amor... por amar.
Me compreenderiam
ou não me compreenderiam?
Sinceramente, não sei!
é um abandono?
_ Não é um abandono!
É a vida que segue feito trem nos trilhos,
é a vida querendo caminhar, sem querer parar,
poderia ser diferente, mas não há como!
Talvez seja um adeus, sem ter pressa
de voltar!


Poesia escrita em 15/01/2019

 
Autor
Bebel
Autor
 
Texto
Data
Leituras
301
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
1
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Legan
Publicado: 21/05/2019 15:17  Atualizado: 21/05/2019 15:17
Super Participativo
Usuário desde: 26/01/2010
Localidade: Algures em Trás-os-Montes
Mensagens: 158
 Re: Poema da Tristeza
As vezes o amor dá-nos asas para poder saltar esse trilho, e assim passar pela vida com um sorriso...

Gostei do seu poema.

Abraço
José Coimbra