https://www.poetris.com/
Poemas : 

Ecos do vento

 
Tags:  amor    reflexão    desabafo  
 
(Não) sei aquilo porque espero
(Nem) sei (tampouco) aquilo que quero
Sei porque me desespero

Não sou o maior
Também nunca fui o melhor
Sou quem sou, um filme de terror

Filme de fraca qualidade
Guião pejado de falsidade
Vida de "truques" cheia de maldade

Ouvidos não são moucos
Pensamentos loucos
Uma forma de morrer aos poucos

Só treta, só paleio
Quero tudo, e dou só meio
Mais utilidade que eu, um esteio

Esteio que segura na ramada
Criando a bebida desejada
E eu que não o bebo e não lhe sirvo 'pa nada

Pela jumentice abençoado
Pelo diabo apadrinhado
Pelo céu em tempos iluminado

Lâmpada que se apagou
E não sei para onde vou
Não sei de nada, (não sei) quem sou?

Eternamente aluado
Incorrigívelmente atabalhoado
Olhar neutro, olhar enavoeirado


Sei o que desejo todo o ano
Sei tudo aquilo que sinto
Sei quem quero, quem amo
Sou mentiroso mas não te minto






MINHA POESIA MALDITA...
VEM DE MINHA ESCURIDÃO
E MINHA POESIA LUMINOSA
DE MINHA FONTE DE INSPIRAÇÃO

Peace & love
FidesinOculisMeis 2019®

 
Autor
FidesinOculisMeis
 
Texto
Data
Leituras
52
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.