https://www.poetris.com/
Poemas : 

Ardendo!

 
Ardendo!
Hora da matança
Da imbecilidade
Atroz
Avareza
Arrogância..
A biodiversidade clama por paz
Reclama
E chora..
Por momentos
Infelizmente
Inglórios
Quando um mato
Uma capoeira
Uma nascente
Ou uma floresta
Estão em chamas
E fumaça faz a festa
No ar
A vida denuncia
Que algo de errado
Imbecil
Ganancioso
Também criminoso
Está acontecendo
Matando a natureza
E você ainda diz
Que é tudo pela produção
Sustentável.
Quanto absurdo do ignavo!
É de dar pena
Essas mentes insanas
Afeitas ao mal
Em desafio permanente
Contra a humanidade.

Por poeta e Ecologista
Lizaldo Vieira.n


Q U E S E D A N E C U S T O d e V I D A - Lizaldo Vieira
Meu deus
Tá danado
É todo santo dia
O mesmo recado
La vem o noticiário
Com a
estória das bolsas
Do que sobe e desce no mercado
De Tóquio
Nasdaq
São paulo
É dólar que aume...

 
Autor
Lizaaldo
 
Texto
Data
Leituras
52
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.