https://www.poetris.com/
Poemas -> Dedicatória : 

Céu Azul

 
Tags:  amor    saudade    rimas    romance  
 
Céu Azul
 
Não se preocupe, querida
Mesmo que eu vá embora e não volte
Ainda estarei contigo, andorinha
Para sempre estarei, pois então, não se afobe.

Nosso amor quebrou tantas barreiras
Tantos muros desabaram
Guerreamos e conquistamos, nas trincheiras,
O nosso amor, recém liberto
Pois então, não chore, não se desespere, sereia
Sinta essas palavras, deixe que ecoem
Em direção ao seu coração, princesa.

Mesmo que eu desapareça,
Deixarei, como presente, seus poemas
Poemas que dediquei por anos a fio
Invernos se passaram e nunca os deixei ao frio
Deite-se sobre meus braços, em paz
Sorria, e assim como um menino, pedirei por mais
Seu amor eu nunca poderei silenciar,
Os ventos vindos do Norte me farão recordar
Me farão chorar ao escutar, longe, seu nome
Sei que odiará, sei que irá me insultar
Mas, sei também que continuará a me amar
Assim como eu, independente de onde esteja
Tal carma, tão doce, mas por vezes doloroso
Que nos induz a sentir falta de quem não nos pertence,
Que nos causa lágrimas, em um dia de verão impiedoso.

Por vezes, querida, me perguntei
Se não loucura, escrever sem te ver
Mas, confesso que uma resposta não encontrei
Então segui em devaneios, criei sonhos e pesadelos
Sonhos em que me encontrava contigo
Pesadelos acordados, quando notava que estava sozinho.

Por vezes, querida, eu sentia
Dores invisíveis, representantes da saudade
Pela solidão, pelo vazio, pela monotonia do dia
A antiga felicidade fora trocada, pelas manhãs repetidas
Te procurei tanto, pelas costas, rios, até pântanos
Qualquer lugar que pudesse indicar seu paradeiro
Sereia, ninfa das águas, eu te amo, ano após ano.

Sinto que minhas forças estão se exaurindo
Queria, como dito, te ver mais uma vez sorrindo
Aquele sorrisinho lindo, puro, envolto a brilho
Como uma estrela, me chamando de bobo
Apenas mais uma vez, ser teu louco
Te carregar pelas ruas a fora, pedra após pedra
Pelas ruas de terra, até o paraíso, as cobertas.

Não se preocupe, querida
Mesmo que eu vá embora e não volte
Ainda estarei contigo, tulipa
Apenas feche seus olhos.

 
Autor
AteopPensador
 
Texto
Data
Leituras
101
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.