https://www.poetris.com/
Poemas : 

A pele do homem #.#.#

 
 
.







A cascavel muda de pele,
É da sua natureza.
O homem,
Diante da impossibilidade, falseia.
Os radicais viram poetas.

Os medíocres não se encaixam
Em nenhuma categoria,
Sem pele e sem vida,
Vagam como fantasmas.






Milton Filho
Do livro, Nacos, Edit. Chiado
 
Autor
Srimilton
Autor
 
Texto
Data
Leituras
130
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Jorge-Santos
Publicado: 22/01/2020 20:07  Atualizado: 22/01/2020 20:11
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade: Azeitão/Setúbal, Portugal
Mensagens: 2132
 Re: Na pele do Milton
Milton Filho, definitivamente, não é deste mundo. Mas contamina o mundo todo e vê, no mundo, o que nele há de poesia, pois que o mundo está todo embebido em versos. A sublime presença das coisas subtis é imperceptível àqueles que têm os olhos vendados e os ouvidos moucos. Há, em todas as coisas, e em todos os seres, elementos tangíveis e intangíveis. Num e noutro, se se olha com os olhos de se ver, ver-se-ão gritantes os trejeitos da poesia. Poeta é todo aquele que, querendo ou não, vê. Poeta é todo aquele que, a despeito de ser homem, sente o mundo como se todo povoado de deuses, e em tudo percebe vestígios da divindade. O encanto a que estão submetidos os poetas vem sempre carregado de inefável e dolorido esplendor. Milton Filho é um desses homens. Milton é filho dessa força vibrante da natureza. Milton é filho amado do indizível, que ele, teimosamente, teima em dizer.

(os meus parabéns )

Open in new window