https://www.poetris.com/
Contos -> Terror : 

Antigravidade, portais e todos os seus sonhos

 
Você acha estranho, aquele estranho eu sonhador, que se aventura por todas as suas noites e dias, assim que voce fecha os seus olhos para este outro estranho mundo "real", no qual pensa se achar desperto. Ele é intrigante, suas aventuras são desconexas e incoerentes, o você dentro dele quase não se reconhece como o você desperto, embora você tenha certeza de que são os mesmos. No entanto, se você observasse o você desperto do ponto de vista dele, acharia este você desperto do qual tem tanta certeza e orgulho, tão caótico e incoerente quanto aquele que julga que sonha a partir de seu mundo desperto .
Muitos episódios das suas vidas não serão registrados de um para o outro - na maior parte das vezes - essa ruptura causa certa confusão, além é claro na diferença do tempo de um para o outro, entre outras coisinhas mais que não convêm por agora.
O seu eu desperto é tão incompreensível para o seu eu dos sonhos quanto ele é pra você. Suas incoerências são tantas que parecem de fato oníricas. Sua vida desperta é estranhamente estruturada sobre conceitos tão bizarros quanto aqueles que você pensa encontrar em seus sonhos. Você paga impostos às pessoas que gostaria de ver trancadas na prisão. E vota em pessoas semelhantes para dirigirem a sua vida. Você diz amar Deus e Cristo, mas tem medo de se encontrar com eles. Vocês pensam uma coisa e dizem, outra e se chateiam quando encontram pessoas que fazem o mesmo em relação a vocês. Vocês acham que todos tem a obrigação de amá-los, mas não pensam em amar, pois pensam que essa tal correspondência é uma tolice, e já nasceram merecedores da atenção de tudo e de todos no mundo. Você se chateia ao ter seus direitos e espaços violados, mas não pensa tanto assim quando viola o espaço e o direito dos outrem, por que o merecimento eles sempre serão menores que os seus.
Perdoem-me, não quero apresentar vocês a vocês mesmos, e sei que cada um tem a sua autocritica e o seu ego exatamente onde tem de estar. Só queremos ilustrar que a congruência que procuram ou que acusam faltar em determinada expressão da consciência não é encontrada nem mesmo onde acha que seria. Falamos isso porque quero que internalizem que a situação que atravessam quando num chamado sonho, não é assim tão diferente na vigília. Sentido ou falta dele depende do contexto de quem vivencia, como tudo o mais.
Vocês procuram algumas respostas para as situações da vida, nada mais natural. Todas as questões buscadas até hoje já foram encontradas, guardadas as devidas proporções, quando se tornam capazes de entende-las, e elas veem de dentro de vocês para fora, como não poderia deixa de ser.
Hoje vocês voam em aeronaves porque sonharam um dia em fazer isso como os pássaros, observando-os no céu do seu mundo. E como os pássaros tem asas, suas aeronaves também as tem , e não podem se sustentar no ar muito tempo sem elas. Até mesmo o helicóptero, que de certa forma não possui asas, é a cópia perfeita da libélula e da sua maneira de planar. Se vocês tivessem sonhado em fazer isso, não como os pássaros, mas como nos sonhos, hoje as suas aeronaves não precisariam de asas. Elas teriam o que chamam de antigravidade.
A gravidade, assim como todas as forças da natureza, são o que você interpreta da realidade a partir de seu ponto de vista. Tecnologicamente falando, vocês inventariam um dispositivo antigravitacional muito antes mesmo de explicá-lo cientificamente. Muito verdadeiramente, todas as suas invenções foram criadas bem antes de suas explicações técnicas-científica. Isso, porque vocês adaptam suas consciências ao que experimentam, numa tentativa de explicar e entender o mundo físico.
Vamos dar duas dicas aqui aos seus cientistas e matemáticos sobre dois conceitos importantes de seu "futuro" próximo: A antigravidade e os portais, embora essas dicas não sejam usadas ou mesmo admitidas, elas poderão ser checadas um dia, neste "futuro", quando este texto for encontrado.
Vocês já tem sonhado com a antigravidade há muito tempo em seus contos e livros, e por certo ela chegará um dia, pelos mesmos motivos já explanados em textos anteriores. Sua "justificativa" técnica seriam os chamados ânions em seus chamados átomos. Se o ar sustenta suas aeronaves hoje, e limitam o seu deslocamento apenas pela atmosfera, os anions, que abrangem tudo, da atmosfera ao espaço exterior, conduziram seus aparelhos futuros. Agora, essa carga elétrica que permeia tudo e liga todas as consciências permanecerá ainda um mistério, porque vocês não sabem o que de fato é a eletricidade, nem o magnetismo e nem a gravidade. A sua ciência não sabe o que eles são, apenas os seus efeitos, e assim vocês tem caminhado, como um sonhador distraído num sonho caótico. Agora, seus cientistas se recusam a ver o óbvio, por puro preconceito e dogmatismo, já que quando examinam as partículas atômicas percebem que elas não tem características materiais, embora sejam os blocos de construção da matéria como a conhecem. Enquanto permanecer esta característica cultural, não entenderão a ordem implícita através de todas as coisas. As características de todas as partículas e da da realidade que elas compõe se assemelham muito mais ao que chamam de pensamento. Pois elas se amoldam e mudam de forma de acordo com o que se espera delas. Digamos que, a eletricidade e suas irmãs, são a forma que a consciência trafega pelo meio "material". Se a consciência, em sua essência, não tem forma e nem limites, quando ela se manifesta num meio formatado e limitado, ela é percebida na forma que chamam de eletromagnéticas, pois são "pertubações" na natureza básica da matéria. E é essa pertubação que você deve levar em conta para criar a sua antigravidade.
Por essas e por outras razões, é que a eletricidade é tão presente subconscientemente nas manifestações da sua cultura, tanto nas ciencias, na literatura e nos mitos, seus cientistas pensam que os raios criaram a vida nos oceanos, na mitologia grega zeus, o criador os traziam em suas mãos, e na literatura, o monstro de Frankenstein ganhou vida por meio deles. Apenas ilustrando alguns exemplos. Sua intuição é maior do que o seu conhecimento ou inteligência, pois a intuição é multidimensional e atemporal, por isso a grande criatividade parece transcender qualquer limites de tempo e espaço.
Partindo dessa pequena observação acerca da eletricidade, vamos falar sobre portais, que foi o que me perguntou um jovem colega.
Há uma pequena alteração na gravidade onde esses se encontram - lembrem-se, eletricidade, magnetismo e gravidade são a mesma coisa em modos diferentes de condução de consciência. Grandes massas alteram quase que imperceptivelmente a gravidade nos seus arredores. Suas imensas montanhas geram "desequilíbrio" gravitacional em suas instancias. Esse suposto desequilíbrio - gosto de chamar de estimulação - gera também eletricidade, por causa dos cristais presentes na rocha. Quanto mais massa e cristais, mais efeito vibracional de natureza elétrica. Isso se torna "portal" interessante para uma consciência não material se manifestar. Digamos que seria um guarda roupa universal, uma vez que essa condição permitiria a consciência se trasvestir das condições necessárias à terceira dimensão, como a chamam. Então, dito isto, gostaria que prestassem mais atenção nas grandes estruturas de rocha que foram deixadas, em seus termos, para trás, e na tentativa delas de reproduzirem as condições há pouco relatadas, sobre peso, rochas e cristais e a sua inerente eletricidade latente, e os caminhos que a consciência toma a partir deles...
Agora, o que isso tem a ver com sonhos?
Se em seus sonhos, seus mínimos desejos e expectativas vêm a tona. Porque não dizer o mesmo daqui, pois quem pode afirmar com certeza de que tudo não é um sonho, dentro de outros sonhos?
Há um filme, baseado num conto, há muito tempo contado, que fala sobre sonhos e realizações. Talvez, um dos mais belos contos feitos em sua realidade. Há uma frase nele que gostaria que guardassem nos recessos mais profundos e sagrados de seu Ser, se acredita nisso ou se achar que pode. Ela diz assim:
"Se você construir, ele virá"
O resto é com vocês!





j

 
Autor
London
Autor
 
Texto
Data
Leituras
46
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.