https://www.poetris.com/
 
Tags:  tristeza    reflexão    rimas    passado    Juvenis  
 
Cep
 
Perdoe-me, princesa, por sufocá-la com mensagens
Entenda meu lado, minhas cartas não conseguem sair em viagens
Não sei seu cep, não sei nem ao menos o número de sua casa
Por isso, minha única alternativa é mandar figuras apaixonadas
Sei que sou uma pessoa difícil de lidar, tanto quanto sou para amar
Sei que às vezes minha mente tenta nos atrasar, eu sei
Você também já deve estar farta das minhas desculpas, meu bem
Eu sei, sei o desgaste por continuar aturando estar ao meu lado
O que acontece é que o seu passado, apesar de ser somente seu,
Entristece-me profundamente, tudo o que conseguiu fazer enquanto eu estava isolado,
Não é problema meu, sei disso princesa, há, como sei, mas, a mágoa persiste
Às vezes disfarço quando indaga se estou bem, balanço a cabeça, mas, me vejo triste
Estou procurando aceitação, para não sofrer pelo que passou e instaurar o meu amor.

Muitas foram as vezes que duvidei de suas palavras, eu não acreditei nelas
Era difícil, mais ainda quando elas eram ditas por alguém comprometida
Por um ponto de vista, sua revelação te tornou mais humana
Pois, quando me abandonou, eu te enxergava como ninja, como uma anja, mas,
Hoje, mesmo entregue e a mercê, lá no fundo existe uma ferida, desferida por você
Foi um choque, moça, quando me contou suas aventuras, confesso
Apenas uma, uma delas, me causou uma mágoa extremamente profunda
Hoje digo ter aceitado, entendido, afinal, não devemos julgar o passado
Mas, dói bastante saber que eu sofri sem ninguém, enquanto você recebia carinho
Bom, acredito que faça parte, me desiludi com a pura fantasia que eu mesmo criei
Entretanto, não me arrependo de nada, nem mesmo com o que sonhei
Estaria mentindo se dissesse que está tudo bem assim
Porém, acho que o importante é que, enquanto estamos juntos,
Sou mais que feliz.

Passando vários pensamentos em minha mente,
Sinto como se fosse uma estação, pronta para me levar para longe
Terras acinzentadas, mórbidas, sem vida
Pois, moça, a verdade é que desconfio de você, o que não é incomum
Poderia ser, caso vivêssemos em pura fantasia
Mas, infelizmente esta somente existe em folhas.

Não te culpo, moça, e se já a culpei, me perdoe
O culpado fui eu, fantasiei com uma pessoa perfeita, me iludi
Quando a vi novamente, inexplicável a sensação de choque
Foi tão de repente, inaudível, invisível, mas, tão forte
Tão intenso, foi bem difícil, já lhe digo
Como aviso, meu coração pediu para que eu fosse menos receptível
Não consegui, não dei ouvidos, e por isso, sofri
Feliz? Bastante, já a tristeza eu omito.

Moça, queria poder desabafar, por isso a citei novamente
Estava precisando despejar essas palavras,
Que estão me atormentando diariamente
Falar contigo? Sem motivo, apenas brigaríamos sem fim
Prefiro assim, desabafar quietinho, no meu cubículo, em risco
Peço, novamente, perdão, me magoei por criar uma princesa encantada
E, esquecer que ela, mesmo que formosa, contém falhas
Te elevei uma vez a divindade, eu era imaturo, vivenciando o primeiro amor
Mas, hoje estou mais matuto, ciente das consequências e escolhas
Pensador, reflito sempre enquanto, em minha porta, bate a dor
Mas, quem sabe um dia ela desista de mim e vá embora?
Deixando para trás nada além de fragmentos incolor.

 
Autor
AteopPensador
 
Texto
Data
Leituras
49
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.