https://www.poetris.com/
Poemas : 

Para Celeste Rebordão Rodrigues

 
Tinha braços largos de abraçar o mundo
tinha olhos fundos de beber a vida
tinha gestos brandos com toque de cristal ...

Tinha uma esperança crescendo e outra e outra ...

Chegou ao mundo vestida de poesia
trazia o fado na voz
a guitarra na Alma!

Traçou paisagens, ergueu destinos,
voou no vento ...
Nada foi inútil! Porque nada é em vão!
A memoria desse amor será eterna ...

Teus braços largos que me abraçavam
teus olhos fundos que me viam
teus gestos brandos que me tocavam
nem a morte pode fechar ...

Celeste, vem, e recolhe a última flor da Primavera!

Ricardo Maria Louro
Dois anos volvidos ... cheios de silêncio e de saudade.


Ser Poeta é exilio
num pais de condenados
um tormento infinito
de mil olhos rejeitados!

Ricardo Maria Louro

 
Autor
Ricky
Autor
 
Texto
Data
Leituras
73
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.