https://www.poetris.com/
Textos -> Esperança : 

COMO ESCAPEI DA MORTE

 
Tags:  amor    vida    morte    milagre  
 
COMO ESCAPEI DA MORTE
 
Chegou a Hora tenho uma história para contar...
A minha história de como eu escapei da morte pela 1° vez

Para aqueles que não acredita em milagres e na existência de um ser Criador que se preocupa com os seres humanos, e para aumentar a fé de quem já teve uma linda experiência de carinho com ele!!!
Mas já vou avisando o ser incrível que eu conheço não é o mesmo que o cristianismo criou nas mídias e redes sociais.

Não são apenas meras palavras, ele realmente é como dizem por aí (O DEUS DO IMPOSSÍVEL)!. Já presenciei muitos milagres e eu sou um deles, por várias vezes anjos me salvaram em diversas ocasiões. Vou narrar aqui uma delas, talvez à mais impressionante.

"O MEU NOME SOLANGE E O SIGNIFICADO DELE É SOLENE MAGESTOSA PROTEGIDA DOS ANJOS."

Mas o que você quer saber mesmo é como eu escapei da morte E como foi não é mesmo?

A maior e mais forte prova de amor de existência que ele já me deu foi quando eu tinha 7 pra 8 anos, vem comigo...

Era uma linda manhã de domingo, o dia estava lindo o sol sairá bem cedo pois era verão eu lembro pois me recordo de minha irmã estar de férias.
Lembro de minha mãe mandando minha irmã na padaria comprar pão para tomarmos o café da manhã, e a Val como costumávamos chama-la se recusando pois queria dormir um pouco mais, eu era muito empolgada e muito ativa quando criança já estava acordada desde que o dia clareou. Eu tenho uma mania (aliás são duas mais a outro eu conto depois) que até hoje me persegue,eu acordava bem cedo antes de clarear o dia e então ficava procurando uma fresta para poder ver quando a luz ia chegando, e quando eu encontrava ficava observando que o céu pouco a pouco ia mudando de cor de um tom azul bem escuro quase negro a um azul mais claro... que ia clareando até... até ficar totalmente clarinho com um brilho maravilhoso no céu para mim, o dia claro significava segurança! Eu tinha muito medo da escuridão, por que eu sempre tive uma intuição que o mal habitava na escuridão.

Mas agora a escuridão da noite já havia passado eu estava, feliz o dia seria ótimo afinal estou de féria pensei vou acordar cedo os primos para termos mais tempo para brincarmos... essas eram as preocupações de uma criança...

Mas antes vou na padaria pra mãe, então me ofereci, ela de inicio não queria deixar mais eu disse que já tinha ido outras vezes pra tia e para o primo Dino, Dino era apelido o nome dele era muito feio kkkkkkkk.
Ela concordou afinal me deu o dinheiro e eu fui, havia aprendido que eu não precisava atravessar a rua logo de inicio poderia ir caminhando ao longo do caminho e só quando eu chegasse e estivesse em frente a padaria poderia então atravessar a rua.
E foi o que fiz mais tenho outra mania terrível essa é a segunda kkkkk não posso caminhar com nada na mão que jogo fora conforme vou caminhando kkkkkk. Joguei o dinheiro fora e tal foi o desespero quando me dei conta aff já estava tão pertinho voltei correndo chorando e rezando para achar o dinheiro, e o dinheiro estrava no gramado (estava mais para uma moita rsrsrs), uma calçada caminho hahahahaha ainda me lembro a sensação foi de alivio imediato.

Peguei o dinheiro rápido e voltei agora guardei no bolso do meu pijaminha (aliás sempre me perguntei por causa de quê tem bolso no pijama?) do perna longa rsrsrs ele era lindo gente tinha até a pantufinha, como não ficava longe a padaria de casa 5 quadras acho, fui de pijaminha e pantufinha mesmo era tão bonitinho que nem parecia pijama, e criança não ligava pra roupa naquela época estávamos mais interessado nas brincadeiras na rua kkkkk.

Cheguei finalmente próximo de onde os meus primos me ensinaram a atravessar onde seria a parte mais segura da rua quase de frente ao mercadinho e da padaria, como de costume olhei para a direita primeiro, nada não havia carros vindo então olhei para a esquerda e havia um carro muito longe daria tempo de sobra, olhei mais uma vez para a esquerda e como estava seguro atravessei a primeira faixa, e continue andando pois olhei novamente e parecia que o carro ainda estava longe. Mas quando eu estava no meio da pista algo me disse olha para o carro e olhei, ele estava bem próximo, hoje sei que eram apenas metros de distância, não dava mais tempo para correr, ele estava muito próximo Era mais ou menos de 2 à 1,5 metros e meio e a velocidade dele?
Estava a entre 80 à 100 km por hora mais quando me viu e sentiu que não daria tempo de não me bater ele começou frear apenas olhei para o motorista e sorri.
O motorista que estava dirigido ia ser padrinho de um casamento e estava atrasado, (e nunca tinha sofrido u ou se envolvido em um acidente até aquele momento), por isso corria tanto numa via que pedia 60 km ele estava a 100 km por que pensou é domingo as ruas vazias posso correr um pouco mais para não chegar tão atrasado. o carro era um fusca cor vinho ou bordô que coisa né gente até hoje não me conformo poderia ter sido atropelada por um Audi uma Ferrari que tal um BMW?

Kkkkkkkk Mas não um fusca, a cena que as pessoas que estavam por ali e o motorista viram foi essa ele me bateu eu voei por cima do capo bati contra o para-brisa com meu rosto e com o impacto fui lançada contra o murro de uma casa, (para minha falta de sorte no momento o muro era chapiscado). Ninguém lá soube explicar como isso pode acontecer mais aconteceu todos contavam a mesma história.

Meu rosto ficou cheio de cacos de vidro uma parte da minha face abriu a pele se soltou do lado esquerdo do meu rosto num corte profundo, meus dentes se quebraram não ficou um se quer, meus lábios foram destruídos, qualquer um que me viu naquele estado disse ela não vai sobreviver. Sofri fratura craniana....
Pois é o motorista ia tentar fugir mais as pessoas que estavam por ali e o dono do mercadinho quase consigo lembrar o nome dele, cercaram o carro e não permitiram que ele fugisse Então veio a ambulância a policia e o rapaz que me atropelou disse que pagaria todos os custos médicos. me encaminharam para o hospital, um hospital bem famoso da cidade de São Paulo. Fui criada lá morava com minha tia Josefa, minha mãe estava conosco a apenas alguns meses.
Foram avisar minha tia que eu havia sofrido um acidente pois lá no bairro todos achavam que ela era minha mãe, quando chegaram algumas pessoas carregando minha pantufa do pernalonga ela quase teve um desmaio tadinha amo demais, e a minha mãe escutou a choradeira da tia e veio ver o estava acontecendo quando viu a pantufa também se desesperou, foi para o hospital de camisola kkkkkkk tadinha.
E os médicos me desenganaram eu estava entrando em cirurgia, mas não deram se quer a esperança de eu sair de lá viva, por conta do inchaço cerebral não poderia ser feito uma cirurgia no cérebro, (o que afetou minhas lembranças e memórias), e as duas rezando minha tia era cristã da igreja Cristã no Brasil. Eles me introduziram ao coma.
Me levaram para o centro UTI Unidade de Tratamento Intensivo.
E se passaram semanas, após semanas, e completou 4 meses. Mesmo depois de tudo feito eu ainda não acordei do coma, as custas estava todas por conta do rapaz Graças a Deus que ele tinha dinheiro se fosse hospital publico eu teria morrido.
E um belo dia de muito Sol eu acordei, para mim eu estava dormindo.
Abri meus olhos e estava meio branco demais não conseguia ver direito, tinha lgo dentro da minha boca e umas coisas coladas em meu peito arranquei aquelas coisas do meu peito e uma maquininha começou apitar, tirei aquele negócio da minha boca e tentei chamar minha mãe, mais não consegui não podia falar minha boca estava toda costurada minha gengiva tinha pontos nela, e meu rosto estava todo enfaixado tentei levantar então, mas não podia mexer minhas pernas eu queria e até achava que estava mais eu não saia do lugar, foi quando varias pessoas entraram correndo dentro da sala e ficaram me olhando por alguns minutos segundos acho e começaram a colocar aparelhos em meu peito, iluminar meu olho com uma lanterna e me fazerem muitas perguntas, ao mesmo tempo me tranquilizando estava muito tonta ainda comecei chorar muito estava com muito medo, não entendia tudo aquilo, não conhecia aquelas pessoas não sabia onde eu estava, hoje sei que eles me conheciam muito por eu ter ficado tanto tempo lá e que ficaram felizes por eu estar acordando depois de tanto tempo. uma enfermeira me abraço e e disse que agora estava tudo bem que ela iria mandar chamar a minha mãe e a minha tia, enquanto isso virei atração principal da ala infantil, até o rapaz que me atropelou veio me ver e me deu muitos presentes, ganhei muitos presentes dos médicos (as) e das enfermeiras também eles pareciam gostar de mim rsrsrs,
encontrei minha mãe e tia elas choraram muito fizeram muitas promessas disseram para eu sarar mais eu ainda não podia falar nem andar estava meio estranha, não consegui comer sozinha.
os médicos mais uma vez chamaram elas e disseram que elas não deveriam ter esperanças eu nunca mais andaria e nem falaria nunca mais seria a mesma criança de antes. E minha tia Josefa Disse para eles eu tenho um Deus que faz coisas impossíveis doutor, ele já ressuscitou a minha menina ele vai curar ela totalmente!
Fiquei no hospital por mais um tempo uma semana acho chorava todos os dias porque ninguém podia ficar comigo lá, todos trabalhavam tinha que ficar sozinha, mas estava viva...

Se passaram algumas semanas e eu comecei a falar, comecei comer sozinha, andar novamente, entrei atrasada na escola por conta do acidente, mas já sabia ler e escrever quando entrei, a minha irmã havia me ensinado, hoje a menina que nunca mais seria normal, que seria um vegetal, uma retardada era como eles falaram na época. Hoje tem uma página de poesias Luso-Poemas Sol Pitanga, 2 canais no YouTube Sol Pitanga, Overgirl GameR e três poemas publicados, estou escrevendo um livro, sobre as coisas boas que nunca esquecemos, As melhores lembranças que guardamos em nosso interior.

Estou emocionada gente... não consigo parar de chora estou vivendo aquele momento novamente a sensação é horrível, e ao mesmo tempo gratidão, alívio não entendo como esse ser Criador me amou tanto assim. Porque eu? Se tem pessoas muito melhores que eu, sempre me pergunto isso... Mas sei que vou fazer valer a pena ele ter me dado uma segunda chance!!! Acreditem nada, nada, nada mesmo é impossível ou por acaso para esse Pai e Amigo que temos como nosso Protetor.
Ele te Ama e não ha nada que ele não faça para te socorrer, seja com problemas corriqueiros do dia a dia até os mais complexos e complicados.
O MEU DEUS É O DEUS DO IMPOSSÍVEL.

Agora vocês sabem porque me sinto tão intima dele Muito obrigada por lerem meu uma das muitas histórias da minha vida por favor se você ler comente sobre esse algo incrível que aconteceu contigo também muito obrigada!

Sol Pitanga


Sol Pitanga

 
Autor
SOLPITANGA
 
Texto
Data
Leituras
81
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
2
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Erotides
Publicado: 01/12/2020 21:07  Atualizado: 01/12/2020 21:07
Da casa!
Usuário desde: 26/02/2020
Localidade: BRASIL
Mensagens: 433
 Re: COMO ESCAPEI DA MORTE
Foram muitos milagres na minha vida , eu vou contar um. Com quase dezoito anos ,eu tive toxoplasmose e perdi a visão , enxergava como em um quarto escuro e como eu chorei, eu adorava ler, e quem já teve toxoplasmose sabe que deixa sequelas. Mas por um milagre, recuperei minha visão. Glória a Deus.