https://www.poetris.com/
Sonetos : 

Poucos entenderão

 
Tags:  poema    infância    lembrança  
 
Lembro-me do seu “xodó”
o Simca Chambord.
Adquirido com sacrifício
na labuta do seu ofício.

Esbelto e brilhante
seu belo encanto.
Interior aconchegante
potência nem tanto.

Rabo-de-peixe, acidente!
Lanterna quebrada
por bicicleta desgovernada.

Lembro-me da sua bronca,
firme, mas asseverada.
Afinal, maculei seu camarada.


Meu pai foi proprietário, na década e 60, de um carismático Simca Chambord. Primeiro automóvel produzido no Brasil, sob licença da Simca francesa, de 1959 até 1967. Recordo-me do incidente e da bronca suave!
 
Autor
Helio.Valim
 
Texto
Data
Leituras
75
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
4
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 29/04/2021 15:31  Atualizado: 29/04/2021 15:31
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 17115
 Re: Poucos entenderão
Poeta
Entendo que tal automóvel tenha sido adquirido mediante grande esforço, trabalho, suor, por parte de seu pai, logo lhe dispensava muito valor sentimental também! Lembrei de um objeto(de louça) da minha mãe que havia sido da minha bisavó. Acabei quebrando acidentalmente esse tal bibelô na infância e além da bronca levei uma surra!Rsrs
Obrigada pela partilha!
Parabéns!
Beijos!
Janna


Enviado por Tópico
Mr.Sergius
Publicado: 30/04/2021 03:06  Atualizado: 30/04/2021 03:06
Colaborador
Usuário desde: 14/08/2018
Localidade:
Mensagens: 772
 Re: Poucos entenderão
Sei exatamente o que você quer dizer e o que significa um Simca Chambord, meu pai também teve um, que eu me aventurava a dirigir. Era bem mais que um carro.