https://www.poetris.com/
Poemas : 

Códigos #.#.#

 
.





Códigos




Nada mais me pertence, nunca nada foi meu,
Só as ilusões, todas infantis e miseráveis.
Mas, hoje, sei, nunca fui dono de nada
E minha consciência, talvez, não exista.

Talvez a angústia de sentir essa angústia,
De mandar à merda esse corpo
E todas as suas ridículas exigências,
Talvez seja um código soletrando a resposta.

Mas o que resta ao analfabeto,
Senão todo o mistério a ser decifrado?

A vida me interroga, crudelíssima, e,
Parece, a linguagem é essa dor abrasiva,
A rasgar o peito procurando a alma,
A alma de um condenado aos infernos.

Então, o que me pertence são as labaredas,
A sublinhar minhas frases leucêmicas,
No interior de um livro comido pelas traças,
Um livro que se compõe há mais de 57 anos.


Milton Filho... 07/06/21
 
Autor
Srimilton
Autor
 
Texto
Data
Leituras
102
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
16 pontos
4
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
ZESILVEIRADOBRASIL
Publicado: 10/06/2021 02:36  Atualizado: 10/06/2021 02:36
Membro de honra
Usuário desde: 22/11/2018
Localidade: RIO - Brasil
Mensagens: 475
 Re: Códigos #.#.#
...se cresce quando se é capaz de ouvir as próprias reflexões... é amadurecimento!
aquele abraço caRIOca, amiguirmão!


Enviado por Tópico
silva.d.c
Publicado: 12/06/2021 03:06  Atualizado: 12/06/2021 03:06
Colaborador
Usuário desde: 26/10/2010
Localidade:
Mensagens: 517
 Re: Códigos #.#.#
Boas Milton, eu escrevo também o mesmo livro, desta feita à 45 anos, num código muito pessoal. É livro para ser lido e decifrado apenas quando não precisarmos dos olhos para ver, para ser descodificado com o coração. Cada página que deixo escrita, cada dia que passa, tenho a esperança que no final, quando me sentar para o ler, me possa orgulhar do que deixei escrito. Abraços