https://www.poetris.com/
Sonetos : 

Cara-metade

 
Minha cara-metade guia meu caminho,
em rotas deixa para trás,
uma saudade perdida, sem escolha,
sem a melancolia juvenil do tempo.

Ela busca no doce
desejo da lembrança,
a quietude do coração
demente por querer tão bem a vida.

Minha cara-metade é sinônimo,
de simplicidade cantada na loucura
do silêncio respeitado na lembrança passada.

É hemisfério ardente,
cansado do aquecimento,
enfurecido na louquice da falta de fé e esperança.

TCintra

 
Autor
Tcintra
Autor
 
Texto
Data
Leituras
46
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
0
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.