https://www.poetris.com/
Poemas : 

Agora, agora.

 
Agora, agora - onde estás tu?
Quando nasces de novo
Para que viva e respire,
Para onde foi o meu rio
Que já não vence os tempos
E se dilui desconexo
sem perspectivas de ser?

Onde estão as coisas que me olharam
A lua que passou
Pela prata deste extinto rio
Onde estou eu, neste minuto que te escrevo
Coisas sem tempo e sem lugar?

Para onde foi a cortina
Que fluida me acenava
A visão de flores a germinar
E a colorir as memórias do campo
Onde criança eu corria
Sem saber que o agora
Me fugia?

Porque as coisas estão tão sós
Tão sem movimento?

Além paradas
Aqui só pó
Alhures passado sem dó

 
Autor
RoqueSilveira
 
Texto
Data
Leituras
199
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Mr.Sergius
Publicado: 08/08/2022 22:39  Atualizado: 08/08/2022 22:39
Colaborador
Usuário desde: 14/08/2018
Localidade: Luxor (Egito) / काठमाडौं (Nepal)
Mensagens: 1557
 Re: Agora, agora.
Há muitos anos, uma enorme e irreversível perda mudou minha vida. De tudo de trágico que aconteceu, também (pretensamente) fez-me poeta, e assim, ao ler alguns versos de teu poema, logo vem-me à mente a certeza que isso caberia perfeitamente na minha história.
Entre eles:
"Agora, agora - onde estás tu?
Quando nasces de novo
Para que viva e respire"
"Onde estou eu, neste minuto que te escrevo
Coisas sem tempo e sem lugar?"
"Para onde foi a cortina
Que fluida me acenava
A visão de flores a germinar
E a colorir as memórias do campo"

Mas, de toda a beleza de teu poema fizeste a pergunta que eu, sem saber, gostaria de ver respondida: Quando nasces de novo para que viva e respire?"
Grato pelo belo poema. Saudações.

Enviado por Tópico
Valdevinoxis
Publicado: 10/08/2022 10:06  Atualizado: 10/08/2022 10:06
Colaborador
Usuário desde: 27/10/2006
Localidade: Aguiar, Viana do Alentejo
Mensagens: 2057
 Re: Agora, agora.
as ausências questionam-se sempre.
Não sendo o que mais gosto, é um texto que não engana e trás a autora à tona. Não deixa de ser uma leitura agradável e fluida. Agradou-me