https://www.poetris.com/
Poemas -> Crítica : 

Autómato

 
Ao derrubar as portas de um mundo
Um outro aparece
E a vista já não humedece
Procura um novo fundo

Quando a rotina
Se transforma em prisão
Quando a retina
Já não transmite ao coração

É necessário morfina
Ou então uma revolução
Para ludibriar tal sina
A de um animal de estimação

Que ficou acorrentado numa qualquer esquina
Que vive somente pela respiração
Porque o sonho é visto como uma mina

E ele tem medo da explosão
Esconde-se por detrás daquela cortina
De viver o mesmo até á exaustão!!!

 
Autor
sisnando
Autor
 
Texto
Data
Leituras
50
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.