Poemas : 

Partiste

 
Partiste para longe, numa cidade tão longe
Cidade de angustia surda ao final dos dias
Nas frias mãos do silêncio a calar as almas
Onde não há horizontes e pássaros a voar
O vento vem da hélice enlouquecida a girar

Vou dizer enfim o que houve na minha vida
No dia que te esperei, mas nunca voltastes
Qual a brisa que soprava ligeira nos campos
Voltei meus olhos ao mundo, assim renasci
E fiz das palavras poemas quando te fostes

Então no campo continua sem fim de trigais
O perfume desmedido de lavandas ao vento
Livre como o imenso espírito da ave rebelde
Onde as mansas lagoas, são espelho do céu
E o coração pulsa da alvorada ao entardecer

Vim dizer-te nenhum segredo, tudo já sabes
Que o verão, de novo, já sucede a primavera
Iluminando em cores as flores por ela abridas
Neste peito mais que partir, tua saga morreu
Nem está na memória dessas tardes infinitas

Absurda, a roda continua a girar sem sentido



(abridas = com licença: abertas)


"Somos apenas duas almas perdidas/Nadando n'um aquário ano após ano/Correndo sobre o mesmo velho chão/E o que nós encontramos? Só os mesmos velhos medos" (Gilmour/Waters)


 
Autor
Sergius Dizioli
 
Texto
Data
Leituras
428
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 01/02/2023 18:14  Atualizado: 01/02/2023 18:15
 Que as rodas continuem girando
Open in new window

Enviado por Tópico
Sergius Dizioli
Publicado: 20/03/2023 15:56  Atualizado: 20/03/2023 15:56
Administrador
Usuário desde: 14/08/2018
Localidade: काठमाडौं (Nepal)
Mensagens: 2221
 Re: Partiste
Este é um dos que fala da minha estrela!