Prosas Poéticas : 

O declínio do amor com o passar do tempo

 
Open in new window

Amor declina-se,
Perde a intensidade
Com o amadurecer da vida
A dois.
Quem não se lembra
Da sua puberdade:
Encontros secretos,
Primeiro beijo,
Ida ao cinema, ao baile
E ao teatro.
Projetos e mais projetos
Projetos ousados,
Cheios de vida, de luz e sonhos,
E como era o amor nessa altura?
Intenso, tão intenso, crescia
E derrubava todos os impossíveis.
Com o passar dos tempos,
A intensidade do amor se afrouxa,
Tudo passa à funciona à meio-gás;
Beijos se rareiam e quedam-se os mimos.
Por isso, não se pode enganar o coração,
Afirmando que o amor de há anos é igual
Ao amor à primeira vista.
Pois, o amor nunca será o que era,
Com o passar do tempo.

Adelino Gomes-nhaca


Adelino Gomes

 
Autor
Upanhaca
Autor
 
Texto
Data
Leituras
451
Favoritos
3
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
37 pontos
5
4
3
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Upanhaca
Publicado: 28/05/2023 20:22  Atualizado: 28/05/2023 20:22
Usuário desde: 21/01/2015
Localidade: Lisboa/loures
Mensagens: 8424
 Re: O declínio do amor com o passar do tempo
Quanto mais o amor envelhece,
rareiam-se beijos e mimos
na vida a dois.

Open in new window

Enviado por Tópico
rosafogo
Publicado: 29/05/2023 13:10  Atualizado: 29/05/2023 13:10
Usuário desde: 28/07/2009
Localidade:
Mensagens: 10591
 Re: O declínio do amor com o passar do tempo
O amor da adolescência, torna-se num outro sentimento mais forte que une duas pessoas que se querem bem, não acho que desvaneça, torna-se é mais significativo.

Gostei de ler, com a vida cria-se uma estima valiosa, onde duas pessoas se tornam numa. Eu que o diga que já lá vão 57 anos fora os de namoro.

um abraço, boa semana.


Enviado por Tópico
Sergius Dizioli
Publicado: 29/05/2023 16:34  Atualizado: 29/05/2023 16:34
Administrador
Usuário desde: 14/08/2018
Localidade: काठमाडौं (Nepal)
Mensagens: 2226
 Re: O declínio do amor com o passar do tempo
Em que pese a beleza do poema e que de nenhuma forma o diminui, não concordo o tema de fundo. O amor só esfriará se o permitirmos, talvez motivados por paradigmas que devemos abandonar. Um deles é que não cai bem a pessoas com mais idade a efusividade amorosa. O poema tem sua beleza e o tema não é destituído de boas razões.
Talvez seja eu que ainda me recuso a somar os anos que já vivi e, assim, sigo mantendo hábitos da adolescência. Saudações.