Poemas : 

A penitência

 





O silêncio a respirar uma

voz

[ contida ]

saída de um tempo casto

que lhe ditou a penitência.



Praticar o esquecimento

percorrer os dias desenhando



pele

veias

mãos



nas paredes do pôr do sol.



Esperar na fila

para rebentar balões



de água contra

as paredes.



Escrever

e apagar



apagar

e recomeçar.



Morar em memórias dormentes

casa de palavras brancas.


 
Autor
idália
Autor
 
Texto
Data
Leituras
342
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
12 pontos
0
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.