https://www.poetris.com/
Poemas : 

tormento

 
Tags:  poeta    cerrado    luciano    Spagnol    tormento  
 
 
tormento

divagando pela veneta
da noite
destrancando minha gaveta
das aflições em açoite
entre as estrelas e a lua
na janela das saudades silentes
em delação tão minha, tão sua
vou trovando motivos urgentes
nos lamentos com agrura crua
de um tempo que já se foi...
e neste silencioso agudo
só a alma se põe falante
e assim, então, eu a saúdo
segando o tormento dissonante
versando a solidão em suspiros rudo.

© Luciano Spagnol - poeta do cerrado
06/04/2013, 01'45" - cerrado goiano




Poesia é quando escrevemos o monólgo de nossa alma, que se torna um diálogo com o leitor.

Protegido por Lei de Direitos Autorais (9.610/98)
Se copiar citar a autoria – © Luciano Spagnol – poeta do cerrado
 
Autor
LucianoSpagnol
 
Texto
Data
Leituras
144
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
12 pontos
2
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
HorrorisCausa
Publicado: 05/12/2023 12:49  Atualizado: 05/12/2023 12:49
Administrador
Usuário desde: 15/02/2007
Localidade: Porto
Mensagens: 3527
 Re: tormento/LucianoSpagnol
Olá LucianoSpagnol

Com um léxico pouco usual, este poema'tormento" é um belo de um tormento. Tomara eu sempre que"destrancando minhas aflições " saísse algo assim... tão envolvente, quanto inquietante, até urgente e a aura no feminino a pairar, faz todo o sentido os múltiplos significados que se pode extrair deste"aloite' tormento

Atenciosamente
HC