Prosas Poéticas : 

Pódio de mastro caído

 
Open in new window

Na sucessão sucessiva
Dos “sucessos”
Sucedidos sucessivamente
Pelas botas lambidas,
Nota-se o retorno à base,
Os frustrados do lambe-lambe,
Que venderam suas línguas
Ao brilho do sol-poente,
Que agora se apaga
No fundo das capulanas,
Furtadas nas machambas
De ambição.
Nas botas que ficaram por lamber,
Vê-se persistente baço,
Que nenhuma língua pode clarear,
Pra ganhar lugar no pódio
Do mastro caído.
Na parada das botas embaciadas,
Finam-se línguas pra nova temporada
Que se avizinha pra lambidelas.
Pra uma nova corrida ao pódio,
Cria-se rios de baba, pra botas brilhar
Nas oficinas de línguas caladas,
Que só falam nos bicos das botas
Por lamber.

Adelino Gomes-nhaca


Adelino Gomes

 
Autor
Upanhaca
Autor
 
Texto
Data
Leituras
277
Favoritos
3
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
28 pontos
2
1
3
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Egéria
Publicado: 20/02/2024 13:37  Atualizado: 20/02/2024 13:37
Usuário desde: 28/09/2009
Localidade:
Mensagens: 889
 Re: Pódio de mastro caído
Olá,
forte mas digno de ser considerado uma grande verdade.
Abraço