Sonetos : 

Carrego nos ombros

 
Carrego nos ombros
A dor e a raiva
Que reduziram a escombros
Uma alma anteriormente viva

Caminho hoje pela escuridão
Não encontro alegria em lado algum
Sou mais um resto da civilização
E sou somente mais um

Um pedaço de carne sem gosto
Um cérebro quase que eclipsado
Corro sempre para o lado oposto

Faço de tudo para trocar de lado
Tudo cheira a desgosto
E nunca aprendia tocar ou cantar o fado!


Não sou nada
Nem ninguém
Mas tento ser
Humildemente eu!!!

 
Autor
sisnando
Autor
 
Texto
Data
Leituras
69
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.