Poemas : 

O napron de linho

 
 





a minha bisavó contava
que os habitantes da aldeia
teriam de ter o copo e o napron mais bonito
preparado
para quando chegassem os estrangeiros ricos
pudéssemos oferecer-lhes água
de forma vassala
reza a história, se não o fizéssemos
algo de ruim iria nos acontecer
guardei esta história
com medo no meu peito

até que um dia
um sismo estrangeiro
chegou
acho que ninguém tinha o copo
e o napron preparado,
ele se revoltou
tudo desabou
tudo o que tinha desapareceu
a casa, os sonhos, amigos, a infância
contudo, tive um anjo que me salvou
e fui resgatado

enviado para a terra natal do meu pai
Portugal
para começar uma nova vida
hoje guardo no hall de entrada
o copo mais bonito
sei que não haverá estrangeiros a chegar,
mas dentro do meu corpo
a voz da minha bisavó
diz para colocar o copo
sobre o napron de linho




 
Autor
Darwinantonio
 
Texto
Data
Leituras
57
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
0
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.