Poemas : 

Seda de ocasião

 
talvez um céu sacro
de esperas esquecidas
o Coliseu
a vida lotada de erros perenes

talvez o sumo dessa noite
voe com os olhos cheios de pipas
quiçá saboreando algo que pereceu
iniciando tranças no tempo
como uma garota
sufocada pela paz
aparentemente inútil

(e) quem saberia dizer
de que lado estaria a solidão
para me cobrir
essa noite?


Vania Lopez


Devo confessar que sou o contrário, meus passos seguem em contrário.
Sou uma pessoa inquieta, vou onde meu vento me leva. Artista Plástica e escritora, as vezes sem saber se pintoraqueescreve ou escritoraquepinta...
Procuro por algo, mas a intenção n...

 
Autor
Vania Lopez
 
Texto
Data
Leituras
100
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
22 pontos
2
2
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
ruacuzuaco
Publicado: 11/06/2024 09:27  Atualizado: 11/06/2024 09:27
Super Participativo
Usuário desde: 11/05/2024
Localidade: Verderena
Mensagens: 105
 Re: Seda de ocasião
Um poema que mistura a modernidade com o tempo antigo
E resulta muito bem
Favoritei

Enviado por Tópico
agniceu
Publicado: 11/06/2024 17:04  Atualizado: 11/06/2024 17:04
Colaborador
Usuário desde: 08/07/2010
Localidade:
Mensagens: 595
 Re: Seda de ocasião
Sempre a duplicar beleza, caríssima amiga Vânia!

Este poema leva-me a questionar de que lado do céu está o coração dessa “garota”, e chegar à conclusão que a sua solidão estará longe da estrela mais acesa.

Obrigado por tudo o que tens feito em prol do Luso poemas e por visitares os meus rabiscos.

Um forte abraço.