Poemas : 

Sereno

 
 
Talvez não seja assim tão suportável
Enfrentar alguns versos trancafiados
Que de uma forma quase inevitável
Tentam fugir quando somos magoados

E você como se levantasse o tampo do piano
Senta e tecla tão rápido aquela velha canção
Que o mundo lá fora perde seus meridianos
Sobram apenas você as notas e sua combustão

Aos poucos sua mente vai girando mais devagar
E você se dá conta de como trata mal seu coração
Suas conquistas quanto a mágoa pode devastar
Cada pedacinho de uma poesia desde sua concepção

Minhas lembranças hoje me mostram que apesar
De tudo que chorei de todos os erros que cometi
Ao menos uma diminuta lição eu sei que aprendi
Através das canções e dos versos aprendi a serenar

E é este sereno o orvalho que a madrugada me presenteia
Que humildemente deixo aqui em linhas de minha fantasia

Deus nos abençoe
Carlos Correa

 
Autor
CarlosCorrea
 
Texto
Data
Leituras
55
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
0
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.