https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens sobre canção

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares sobre canção

♫ Minha linda melodia. ♫

 
♫ Minha linda melodia. ♫
 
Como as notas de uma canção
♫ Que revela a alma na poesia
Sinto que é dentro do meu coração
Onde compõe a mais linda melodia.

Às vezes a musica que ressoa triste
Por esta melancolia que é repleta
A saudade de um amor que partiste
Deixando o som da tristeza completa.

Há dias que canto o amor fortemente
Perdurada nas notas da minha fé
Confio na esperança plenamente
Como a força arrasadora da maré.

A voz que nutre dando vida e luz
Na pauta o caminho sempre a trilhar
Sempre será a musica que traduz
Na força que leva-me a amar.

Na harmonia o sonho que se faz
Traduzindo a mais linda sinfonia
Nenhuma tristeza será capaz
De calar minha linda melodia.♫

First Love - Utada Hikaru
 
♫ Minha linda melodia. ♫

A canção da minha vida

 
A canção da minha vida
 
 
A vida é uma viagem ao som da música
Por vezes espiritual e nua
Por vezes um silêncio atordoado,
Um enigma insolúvel e também um êxtase
Aguçada por nossos desejos, imagens esculpidas
A aurora de um monte de paisagens!

Em um dos meus desenhos, como pérola de borda amarela
Meu deserto é preenchido com água de rosas.
Entre gritos, buscando o destino do amor

E a temperança desarticula loucuras
A luz do amor no sonho de areia de cristais
Com um olhar de alegria enobrecida

E por fim
A PAZ com JESUS

Rosangela Colares

Enia-Segred Garden
 
A canção da minha vida

Versos que não escrevo

 
Declinam as horas
e o relógio insone
às voltas
em círculos fechados
sem horizontes
nos lugares mais altos
colocados
declinam
os ladrões da alegria
os sentidos
o dia
o que sinto
o que existe
a fantasia
e o olhar desce
de cada ausência
do que parece
aguardar
surgir
da sua clausura
como uma prece
com vontade
futura
tempos passados
que já não são
o silêncio
em que julgo ouvir
uma oração.
 
Versos que não escrevo

Depois do amor

 
     Depois  do  amor
 
Depois do amor uma canção aos meus ouvidos.
Suave melodia embalando, na paz de nossos corpos suados e fatigados.
No aconchego do abraço, pernas entrelaçadas, pálpebras cerradas, adormecidos
ficaremos na felicidade do momento.
Momento da paixão:- Leve suspirar!

Nereida
 
     Depois  do  amor

SE ACORDARES DURANTE A NOITE

 
LETRA A MUSICAR SE
ALGUÉM ESTIVER INTERESSADO
+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Põe o meu retrato bem perto de ti
Mesmo ao lado da cama, à cabeceira
Assim te lembrarás sempre de mim
E ele estará a teu lado a noite inteira.

E se tu acordares durante a noite
Não esqueças de o beijar docemente
Talvez ele saia da moldura e se afoite
A se deitar a teu lado docemente.

Acaricia-o com amor pouco a pouco
Ela acabará também por acordar
E ao te ver a seu lado, ficará louco
Por teus lábios vermelhos poder beijar.

Deixa que ele te prenda nos seus braços
Deixa-o se entrelaçar no teu corpo
Deixa o seu coração beijar o teu amor
Não deixes que ele desfaça os laços
Deixa-o se aconchegar no teu regaço
Deixa que ele venha a ser teu trovador.

E quando a manhã chegar deixa-o dormir
Para que ele fique todo o dia na tua cama
Deixa-o ficar feliz a sonhar e a sorrir
Assim ele estará certo que te ama.

Dá-lhe os teus seios a belo-prazer
Ele os acariciará louco de emoção
Assim esteja ele onde estiver
Guardará dentro de si teu coração.

Para o teres sempre junto de ti
Podes pegar nele com amor e ternura
Dá-lhe um beijo de amor e assim
Podes colocá-lo de novo na moldura.

A. da fonseca

Registado na SPA Lisboa
 
SE  ACORDARES  DURANTE  A  NOITE

Fim de noite

 
Não permita que a luz se apague regada por mazelas a te atormentar, apenas recomeça que findou a noite e é hora de acordar. Cante em sua alma tua maestria fina, aquela bela canção ainda por terminar. Imploro que não me diga que em ti morreu a poesia, que como mármore em túmulo vives fria. Serei teu magma, tua chama, lá no começo, bem antes de me amar.
 
Fim de noite

A Voz do Pai - Para Onde Vai a Morte ?

 
A Voz do Pai - Para Onde Vai a Morte ?
 
 
.

Foi há tanto tempo que os astros faleceram
que já não lembro do sol incerto
que ontem em ícones estelares, tantas vezes,
destruindo as loucuras (im)previsíveis
e eternizando o que no universo é imortal, brilhou!
- para rasgo da pele de tantos e perdidos poetas? -
desse tanto que era muito mais-do-que tudo
há um amor que sobrevive em mérito
dum lado cravejado por punhais firmes do teu sangue
mais que abastados de transbordantes do teu corpo
que foi (e eternamente será) todas as canções
do tudo ou nada que eu quero ouvir a queimar
toda a vida que me resta para te glorificar
orgulho desnecessário de quem te ama
em todos os passos titubeantes das conversas surdas e mudas com Deus
quando o céu da boca se posiciona minuto a minuto
na via-sacra do teu timbre do qual nascia a magia
dum templo respirado de borboletas
e desde que o sagrado existe
talvez mesmo antes do nascimento dos ventos
tu que te foste para nunca te ires embora
permanecerás em tudo o que há de mais belo
por ...que ...
nenhum deus dominará
o altar de luzes sopradas nas tuas preces
tal como apenas tu dominaste em absoluto
o dom abençoado do que é mais meu de teu :
- A tua voz cantando

(Entre o norte e o sul
ao centro da rosa-dos-ventos
há um coração que é direcção das tuas escolhas
e no qual se agita a questão
- para onde vai a morte quando a alma é vida ?)





Ao meu pai , um ano de saudade

Luíz Sommerville Junior , 280320142351 , A Minha Carne É Feita de Livros

.
 
A Voz do Pai - Para Onde Vai a Morte ?

CANÇÃO DE AMOR

 
CANÇÃO DE AMOR
 
“O amor é sentimento que permanece
Saudade é um tempo onde ele mais
prevalece”

Por favor, clique na imagem
 
CANÇÃO DE AMOR

Vida...

 
Onde não existe o amor
Tudo é entristecido e só,
A vida fica sem sentido
Um caminho esquecido...

A estrada é um deserto frio
Não existe luz e nem abrigo,
É como se fosse um castigo
Não existem nem amigos...

Todo dia é a mesma solidão
Nada tem magia e emoção
Não existe noite pra sonhar
Não existe sonho pra contar...

Amor é caminho iluminado
Noite de estrelas cintilantes
Canteiro de flores coloridas
Canção cheia de promessas!

Alipio Queiroz
 
Vida...

A última canção de amor de nós dois

 
Você disse que jamais me deixaria,
uma mera formalidade,
uma brisa leve que passou
e seus olhos que me deixaram aqui,
totalmente só a naufragar os últimos conselhos.

Eu fico com o tempo
recolhendo esperanças soltas.
Você foi uma luz intensa que
passou sem deixar vestígios:
como o mar, como a vida,
como um momento e nada mais.

Seus beijos, seu pedido, seu tempo,
e os melhores momentos que passamos
juntos ainda estão na minha mente
como uma voz que não quer ir embora.
Se o sol aquece até derreter meu
coração aquece até te encontrar,
se a lua ampara os que sofrem
então meu coração ainda luta por ti.

É eterno o tempo, uma vastidão sem fim,
como o oceano e seus mistérios,
como as constelações e suas conquistas,
como o pássaro e seu pouso,
como a vida e o tempo. Tudo parece tão certo
mas dentro de mim ainda toca a
última canção de amor de nós dois.
 
A última canção de amor de nós dois

"Minhas lembranças."

 
"Minhas lembranças."
 
"Minhas lembranças"

Na lua que brilha da solidão
Escutei a voz do meu amor
A sinfonia de sua linda canção
Silenciou a minha grande dor.

Sua voz tão alegre e terna
Melodia que entrou na alma
Lembrança que será eterna
Momentos de paz e calma.

Seus versos são linda sintonia
Inspira meus sonhos e fantasia
Com eles sinto a luz que irradia
Iluminando e me dando alegria.

Acordes repletos de desejos
Com ritmo que me faz tremer
Sonhando sinto teus beijos
Loucuras que me faz renascer.

Na tua ausência tudo é triste
A noite é escura e de agonia
Sem você felicidade não existe
Sua canção é tudo que queria.

Careless Whisper - WHAM
 
"Minhas lembranças."

A Última Canção *

 
 
..

A Última Canção *

Hoje
Eu poderia escrever(vos)
O poema mais definitivo de todos
Neste tempo de mecanismos imprecisos
Não seria belo, o verso!
Nem musical, o ritmo!
Nem criativo, o tema!
Nem original, a forma!
Nem relevante, o conteúdo!
Seria… definitivo …
Se os corpos
Assassinassem o nome
E entregassem a outras carnalidades
A assinatura
Escrevendo sangue, suor, lágrimas, sorrisos, gritos, mutismos
Transfusões nos próximos e nos longínquos
Saudações e padecimentos vertendo energias, nervografismos!

Qual é o nome que escrevem quando respiram?

LSJ, 160720140237

* a rever
 
A Última Canção *

Nem tudo pode ser dito por palavras

 
Nem tudo pode ser dito por palavras
quando os teus olhos partem
o meu coração
para dizer-te quanto me agradas
bastasse um poema
bastasse esta canção

de amor
paixão
mas o silêncio às vezes diz
melhor
aquilo que nos vai na alma

nem tudo pode ser dito por palavras
quando o sentimento é mais
que uma ilusão
para dizer-te adeus

tropeço
nas palavras
e caio à espera que me dês a mão

meu amor
meu amor
não estou a dizer nada que não soubesses
e posso dar-te tudo o que mereces.
 
Nem tudo pode ser dito por palavras

Devo aceitar

 
     Devo  aceitar
 
Tão legítimas eram as verdades
Tão legítima é minha saudade
Mas não deste a mínima
Preferes ignorar,outro parecer te anima

Para que bater em ferro frio
Na cara pouco brio
Me exponho, tento entender
Mas só posso me surpreender

Devo aceitar sem ocultar
Decepções que me levam à consultar
Meu pobre coração, chega a doer
Minha alma quer percorrer

Flutuar em suave canção
Sem precisar de atenção
Não mais amor sem merecimento
Voarei livre no meu renascimento.

Nereida
 
     Devo  aceitar

Canto ao Encanto de uma Poetisa

 
Canto ao Encanto de uma Poetisa
Porque me encantas,
bela e doce Poetisa!
São melodias que cantas
Ou sussurros da brisa?

Enlaçam-me teus versos
como abraços de vento!
Serão cantos imersos
de saudade e lamento?

Teus olhos são estrelas
Que firmam os meus.
Quiçá, sejam as janelas
Antevendo nossos céus!

De teu olhar, desagua o pranto
em saudosas lágrimas de cristal,
Beijo-te a face, e nela sorvo o sal
ternamente, repondo-lhe o encanto!

Lisboa, 08/07/2015.
Dedicado a uma Poetisa do Luso-Poemas.
 
Canto ao Encanto de uma Poetisa

CONVITE

 
Você me convidou para cantar o amor.
Aceitei.
Confesso que me empolguei.
Enlouqueci.
Convidei-te para falar de poesia.
Você me olhou e sorriu.
Estremeci.
Era tanta alegria.
Tanta emoção.
Que nasceu a canção.
Acalentando o coração.
Que me fez viajar,
sem sair do lugar.
Então.
No momento em que o meu olhar,
Cruzou com o teu.
Frenesi.
O coração acelerou.
Tudo ao redor estremeceu.
Meu corpo saiu do chão.
O encanto aconteceu.
O tempo parou.
Nasceu o amor.
Poesia & canção.
 
 CONVITE

QUE SEJA UMA CANÇÃO DE AMOR

 
Soneto dedicado à minha esposa

******************
Meu amor, não quero aprender a sofrer,
Quero-te mostrar meu coração apaixonado.
Mostrar-te todo o meu amor até morrer
Eu não quero ser um amor abandonado.

Desejando que seja longa a nossa vida
Para poder falar dos sonhos que guardei.
Quero-te para mim, mulher mais querida,
Mulher pela qual um dia me apaixonei.

Quero que o mundo saiba do nosso amor.
Quero que ele conheça as nossas loucuras
E que Lua me oiça cantar pela manhã.

Não quero que sejam canções de saudade,
Mas sim por ter a felicidade de te amar.
Que sejam canções de amor e talismã.

A. da fonseca
 
QUE SEJA UMA CANÇÃO DE AMOR

O meu amor por ti

 
O meu amor por ti
Não é de perguntas
E de respostas
Não é estado
Nem condição
Triunfo
De coisa nenhuma
Canção
Por ti
Meu amor
Incrível flor
Sem terra
Que se abre
Débil
Esperança no deserto
Mais que o eco
Sobrevive
A certezas
Costumadas
Às palavras
Ao vento
À canção
Que mais ninguém ouve.
 
O meu amor por ti

De cifra

 
De cifra

Dedilhando as cordas do meu coração
Descompassado, fora de ritmo.
Desafinado, treme e não bate.
Dentro do peito sufocando em sustenido
Desperta silenciosa canção
Desprendendo o corpo da alma
Devorando os sentidos dos acordes
Deixando sétima transportada em dó
Derivando as pautas sincopadas
Doce clave de sol com lágrima maior
Deslizando notas molhadas na face
Dádivas calculadas em emoções
Desfilando ares de paixões
Dardos certeiros atirados em vendavais
Debatendo o amor, vence a razão.
Deságua a sorte pelas veias
Derruba o castelo esperança
Declinando a onda sonora
Decorando seus passos na areia...

Márcio de Oliveir@
18/05/2011
 
De cifra

"Não sou santa"

 
"Não sou santa"
 
"Não sou santa"

Sou rio que corre manso e sereno
Perde-se em ciclo num mar bravio
De sonhos em versos reeditados
Que acarinham meus bichos no cio.
Sou fogo predador, fêmea visceral.
Sei tecer intimidade com a solidão.
Sou clareira constantemente aberta.
Alma presa nos versos e na canção.
Acovardo-me às vezes diante do nada.
Se recuo e avanço é pra me proteger.
Visto-me de festa, inauguro guardados.
Num olhar de mormaço posso me perder.
É na luz do luar que tudo aflora.
Madrugada indecifrável, lampejos.
Aí sou rio que sem represas flui livre.
Guardiã destemida dos próprios desejos.

Glória Salles
 
"Não sou santa"