https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

lareira acesa

 
Tags:  desordem  
 
Algum dia, uma árvore...
Entre os troncos, os galhos,
acendalhas e pinhas.
O risco do fósforo
consumido até meio,
ateio
uma fogueira.

Ouve-se o crepitar do lume
nas pinhas castanhas e nuas;
os galhos contorcem-se esguios,
os troncos grossos gemem...

A casa de jantar aquece:
tons amarelo avermelhados
entre a tijoleira e o mármore.
As labaredas,
as brasas,
a cinza.


Sou fiel ao ardor,
amo esta espécie de verão
que de longe me vem morrer às mãos
e juro que ao fazer da palavra
morada do silêncio
não há outra razão.

Eugénio de Andrade

Saibam que agradeço todos os comentários.
Por regra não respondo.

 
Autor
Rogério Beça
 
Texto
Data
Leituras
1397
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
5 pontos
5
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 30/11/2008 14:36  Atualizado: 30/11/2008 14:36
 Re: lareira acesa
Saudade de ler seus belos poemas!
Abraço.

Enviado por Tópico
AnaCoelho
Publicado: 30/11/2008 14:41  Atualizado: 30/11/2008 14:41
Colaborador
Usuário desde: 09/05/2008
Localidade: Carregado-Alenquer
Mensagens: 12097
 Re: lareira acesa
Por aqui também já tenho a lareira acessa.
Belo poema.

Beijos

Enviado por Tópico
jaber
Publicado: 30/11/2008 16:06  Atualizado: 30/11/2008 16:06
Colaborador
Usuário desde: 24/07/2008
Localidade: Braga
Mensagens: 2802
 Re: lareira acesa
Rogério, onde tens andado? Tens que continuar a aquecer aqui o teu cantinho que gosto de visitar, com essas labaredas crepitantes..

Abraço

Enviado por Tópico
Vera Sousa
Publicado: 30/11/2008 16:09  Atualizado: 30/11/2008 16:09
Membro de honra
Usuário desde: 04/10/2006
Localidade: Amadora
Mensagens: 4100
 Re: lareira acesa
Um poema que aquece a alma...

Beijinhos

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 30/11/2008 16:49  Atualizado: 30/11/2008 16:49
 Re: lareira acesa
Que a lareira da tua imaginação nunca deixe de nos aquecer com teus versos, Rogério.És escritor dos que mais aprecio.
Bjins, Betha.