https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

lareira acesa

 
Tags:  desordem  
 
Algum dia, uma árvore...
Entre os troncos, os galhos,
acendalhas e pinhas.
O risco do fósforo
consumido até meio,
ateio
uma fogueira.

Ouve-se o crepitar do lume
nas pinhas castanhas e nuas;
os galhos contorcem-se esguios,
os troncos grossos gemem...

A casa de jantar aquece:
tons amarelo avermelhados
entre a tijoleira e o mármore.
As labaredas,
as brasas,
a cinza.


A minha pátria é a língua portuguesa.
Bernardo Soares

Saibam que agradeço todos os comentários, de coração...
Por regra não respondo.



 
Autor
Rogério Beça
 
Texto
Data
Leituras
1293
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
5 pontos
5
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 30/11/2008 14:36  Atualizado: 30/11/2008 14:36
 Re: lareira acesa
Saudade de ler seus belos poemas!
Abraço.

Enviado por Tópico
AnaCoelho
Publicado: 30/11/2008 14:41  Atualizado: 30/11/2008 14:41
Colaborador
Usuário desde: 09/05/2008
Localidade: Carregado-Alenquer
Mensagens: 12082
 Re: lareira acesa
Por aqui também já tenho a lareira acessa.
Belo poema.

Beijos

Enviado por Tópico
jaber
Publicado: 30/11/2008 16:06  Atualizado: 30/11/2008 16:06
Colaborador
Usuário desde: 24/07/2008
Localidade: Braga
Mensagens: 2802
 Re: lareira acesa
Rogério, onde tens andado? Tens que continuar a aquecer aqui o teu cantinho que gosto de visitar, com essas labaredas crepitantes..

Abraço

Enviado por Tópico
Vera Sousa
Publicado: 30/11/2008 16:09  Atualizado: 30/11/2008 16:09
Membro de honra
Usuário desde: 04/10/2006
Localidade: Amadora
Mensagens: 4100
 Re: lareira acesa
Um poema que aquece a alma...

Beijinhos

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 30/11/2008 16:49  Atualizado: 30/11/2008 16:49
 Re: lareira acesa
Que a lareira da tua imaginação nunca deixe de nos aquecer com teus versos, Rogério.És escritor dos que mais aprecio.
Bjins, Betha.