https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Duas de mim...

 

Duas de mim...

Agora me vejo aqui na sua frente,
de olhos bem abertos.
Talvez buscando no seu olhar confuso,
algo que me atraia neste mundo louco
Não sei se rio ou se choro.
Não sei se canto ou se grito.
Me divido em duas.
Sou duas metades de um mesmo ser.
Sou a pétala e o espinho.
Sou a coragem e o medo.
Sou o bem e o mal.
Em menos de três segundos ,
vou à lua e volto.
Vou ao norte e ao sul.
Beijo teus lábios famintos de amor
e te agrido com meu desprezo.
Te odeio tanto que não vivo sem ti !
Te amo mais que a mim mesma.
Tenho a loucura acorrentada
em cada pensamento meu
e a poesia que me prende
por um nó de barbante.
Tenho a força dos canhões
e a fragilidade de um bibelô de porcelana.




Conflitos de uma mente humana...
É a bela e também a fera, num quadro pintado à mão




Charlyane Mirielle

 
Autor
Charlyane
Autor
 
Texto
Data
Leituras
826
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Tytta
Publicado: 09/04/2007 21:04  Atualizado: 09/04/2007 21:04
Colaborador
Usuário desde: 22/02/2007
Localidade: Portugal
Mensagens: 790
 Re: Duas de mim...
Este seu poema fez-me lembrar uma musica que escrevi: "odeio quando passas por mim a sorrir/ odeio quando me fazes rir e quero chorar/ odeio quando sabes o que estou a sentir/ mas sobretudo, odeio não te saber odiar".
Acho que o amor tem sempre a vertente dupla de amar e odiar esse alguém que se ama!
Adorei o poema!
Tytta