https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Incertezas

 
Ao toque incerto dos teus lábios
Como vermelho remanso de luar
Flutuam ainda nos meus, sábios…
O recôndito espaço do verbo Amar

Toque indelével de ti, Paixão
Arremete-me para o espaço sideral
Terei emergido lentamente do chão?
Sim?
Quando?
Quando senti o toque de ti?
No final?

Troaram nos céus trombetas de mel
Transbordando os sons do romance
E em vez de Amor
Senti o fel
Do que de ti
Não estava ao alcance

E neste mar de incertezas
Vogam as arritmias do Desejo
O que será que terei de ti?
As realezas?
As certezas?
Ou mero toque… em ti
Que antevejo?

Não sei… beleza!


Octávio da Cunha

 
Autor
OctáviodaCunha
 
Texto
Data
Leituras
1030
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
11 pontos
3
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
António MR Martins
Publicado: 20/03/2009 00:32  Atualizado: 20/03/2009 00:32
Colaborador
Usuário desde: 22/09/2008
Localidade: Ansião
Mensagens: 5064
 Re: Incertezas
Octávio,

Beleza de poema...
Lindo companheiro.

Abraço

Enviado por Tópico
cleo
Publicado: 20/03/2009 04:29  Atualizado: 20/03/2009 04:29
Luso de Ouro
Usuário desde: 02/03/2007
Localidade: Queluz
Mensagens: 3857
 Re: Incertezas
Montei no teu poema de incertezas e embrenhei-ma nas tuas palavras que me souberam a pouco, tal foram as certezas do quanto de belo encontrei no avesso das interrogativas dos seus versos acesos...

Beijo

Enviado por Tópico
Vera Sousa
Publicado: 20/03/2009 15:39  Atualizado: 20/03/2009 15:39
Membro de honra
Usuário desde: 04/10/2006
Localidade: Amadora
Mensagens: 4100
 Re: Incertezas
Com um poema assim, todas as incertezas se dissiparão e verás que a dúvida, se houver, dará lugar a um sentimento firme!
Adorei o poema Octávio. Lindo, lindo, lindo!

Beijo