https://www.poetris.com/

 
(1) 2 3 4 ... 12 »
Offline
Maria Verde
Pergunta
E me perguntou o que tenho ... que estou quieta E respondi que sim, Estou quieta. Dentro de m...
Enviado por Maria Verde
em 28/01/2019 16:16:14
Offline
Maria Verde
Meu bem
Meu bem, chegará o dia do asco Teu sorrisinho de testa franzida E essas mãos Essas mãos uma ...
Enviado por Maria Verde
em 12/06/2018 23:24:13
Offline
Maria Verde
Sachê
E fui passando por fases olfativas. Pus entre as coisas íntimas saco de sachê Não sei do tempo...
Enviado por Maria Verde
em 26/12/2014 21:27:45
Offline
Maria Verde
peso
Fiquei meio vazia quando fui embora. Não levei bagagem, já era muito peso. O vazio pesa, o fim pe...
Enviado por Maria Verde
em 01/09/2013 01:00:55
Offline
Maria Verde
Enviado por Maria Verde
em 28/04/2013 12:51:28
Offline
Maria Verde
RG (reeditado)
O presidente da tribo amanheceu na ressaca depois de algumas cevadas fermentadas que não desceram...
Enviado por Maria Verde
em 19/04/2013 15:41:23
Offline
Maria Verde
Cada dia é um abismo atômico
O homem arrastou sua angústia no caminhar mudo que principiava no trajeto da cama até o banheiro....
Enviado por Maria Verde
em 15/04/2013 22:56:24
Offline
Maria Verde
Eu pescador
O mar, aquele mar cantado na litania da velha, cutuca os ombros, desequilibrando os pés no silênc...
Enviado por Maria Verde
em 18/03/2013 18:39:06
Offline
Maria Verde
Este verão de humanas bocas
Na justa estafa, a moral impoluta. As pernas misturadas e um braço que finda em uma cintura. Meu...
Enviado por Maria Verde
em 20/02/2013 23:40:20
Offline
Maria Verde
Lascas, porque há muitas.
“De repente, não mais que de repente”, um querer monstro assolou o carvalho. Quis mais galhos, fe...
Enviado por Maria Verde
em 01/02/2013 20:51:22
Offline
Maria Verde
Lascas
Cai meu mundo, espatifa-se o retrato da família, ao ouvir avizinhar-se com um estrondo um outo...
Enviado por Maria Verde
em 28/01/2013 19:25:14
Offline
Maria Verde
Dois fios de linha
Despiu-se da camisola e duvidou de sua nudez, da chuva seca, do ronronar do gato, do bater do pei...
Enviado por Maria Verde
em 22/01/2013 13:07:58
Offline
Maria Verde
O umbigo protuberante
Lê livros de auto-ajuda e grita “Schazan” para ninguém ouvir e inventa muitos afazeres a passos l...
Enviado por Maria Verde
em 18/01/2013 12:19:07
Offline
Maria Verde
Cetim barato
Não quero rosas, nem aquele coro de "oh"! quando a terra cobrir as minhas botas. Basta ...
Enviado por Maria Verde
em 16/01/2013 17:49:52
Offline
Maria Verde
Moral da história
Ia carregando seu fardo. Migalhas caiam da carga mal costurada. Sequiosas bocas gordas comiam as ...
Enviado por Maria Verde
em 15/01/2013 15:36:59
Offline
Maria Verde
Enviado por Maria Verde
em 15/01/2013 15:18:23
Offline
Maria Verde
quebra cabeça
Eis que em ti repousam os minutos madrugadores e lentos. Preguiçosos e cínicos. E riem-se Ah! co...
Enviado por Maria Verde
em 12/01/2013 21:53:17
Offline
Maria Verde
caminhante
Caminhava pouco e pouco permanecia. Porque axiomas sáfaros se reproduziam em ninhos secos, perpet...
Enviado por Maria Verde
em 12/01/2013 21:48:35
Offline
Maria Verde
O sentido é manco
O sentir guardo comigo. Não tenho tido contigo. E o sentido? Defluido. Se fosse corpo precisar...
Enviado por Maria Verde
em 12/01/2013 21:46:04
Offline
Maria Verde
Enviado por Maria Verde
em 11/01/2013 03:43:12
(1) 2 3 4 ... 12 »