https://www.poetris.com/
Fernando Pessoa : Cruz na porta da tabacaria!
em 02/08/2011 18:15:48 (3150 leituras)
Fernando Pessoa


Cruz na porta da tabacaria!
Quem morreu? O próprio Alves? Dou
Ao diabo o bem-estar que trazia.
Desde ontem a cidade mudou.

Quem era? Ora, era quem eu via.
Todos os dias o via. Estou
Agora sem essa monotonia.
Desde ontem a cidade mudou.

Ele era o dono da tabacaria.
Um ponto de referência de quem sou
Eu passava ali de noite e de dia.
Desde ontem a cidade mudou.

Meu coração tem pouca alegria,
E isto diz que é morte aquilo onde estou.
Horror fechado da tabacaria!
Desde ontem a cidade mudou.

Mas ao menos a ele alguém o via,
Ele era fixo, eu, o que vou,
Se morrer, não falto, e ninguém diria.
Desde ontem a cidade mudou.

(14-10-1930)- Álvaro de Campos


Imprimir este poema Enviar este poema a um amigo Salvar este poema como PDF
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Henrique Pedro
Publicado: 03/08/2011 11:49  Atualizado: 03/08/2011 11:49
Colaborador
Usuário desde: 28/07/2007
Localidade:
Mensagens: 3821
 Re: Cruz na porta da tabacaria!
Genial!
Os verdadeiros amantes de poesia não se podem eximir de ler, ou de reler, esta maravilha.

Abraços

Links patrocinados

Visite também...