https://www.poetris.com/
Federico García Lorca : Gazel da Lembrança de Amor
em 02/07/2012 16:02:36 (1829 leituras)
 Federico García Lorca

Tua lembrança não leves.
Deixa-a sozinha em meu peito,

tremor de alva cerejeira
no martírio de janeiro.

Dos que morreram separa-me
um muro de sonhos maus.

Dou pena de lírio fresco
para um coração de gesso.

A noite inteira, no horto,
meus olhos, como dois cães.

A noite inteira, correndo
os marmelos de veneno.

Algumas vezes o vento
uma tulipa é de medo,

é uma tulipa enferma
a madrugada de inverno.

Um muro de sonhos maus
me afasta dos que morreram.

A névoa cobre em silêncio
o vale gris de teu corpo.

Pelo arco do encontro
a cicuta está crescendo.

Mas deixa tua lembrança,
deixa-a sozinha em meu peito.

Federico García Lorca, in 'Divã do Tamarit'
Tradução de Oscar Mendes


Imprimir este poema Enviar este poema a um amigo Salvar este poema como PDF
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
HelenDeRose
Publicado: 02/07/2012 16:54  Atualizado: 02/07/2012 16:54
Usuário desde: 06/08/2009
Localidade: Sorocaba - SP - Brasil
Mensagens: 2092
 Re: Gazel da Lembrança de Amor
Quando encontrei estes versos, não conhecia a palavra Gazel.
Para quem interessar:

Significado de Gazel

s.m. Poesia amorosa, geralmente erótica, dos persas e dos árabes.
Melodia árabe que se caracteriza pelo frequente retorno a um tema ou refrão.

Até mais ler...

Links patrocinados

Visite também...