https://www.poetris.com/
Miguel Torga : Poema Melancólico a não sei que Mulher
em 05/03/2014 18:18:29 (2719 leituras)
Miguel Torga

Dei-te os dias, as horas e os minutos
Destes anos de vida que passaram;
Nos meus versos ficaram
Imagens que são máscaras anónimas
Do teu rosto proibido;
A fome insatisfeita que senti
Era de ti,
Fome do instinto que não foi ouvido.

Agora retrocedo, leio os versos,
Conto as desilusões no rol do coração,
Recordo o pesadelo dos desejos,
Olho o deserto humano desolado,
E pergunto porquê, por que razão
Nas dunas do teu peito o vento passa
Sem tropeçar na graça
Do mais leve sinal da minha mão...

Miguel Torga, in 'Diário VII'


Imprimir este poema Enviar este poema a um amigo Salvar este poema como PDF
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Maryjun
Publicado: 08/03/2014 18:28  Atualizado: 08/03/2014 18:28
Membro de honra
Usuário desde: 30/01/2014
Localidade: São Paulo
Mensagens: 6443
 Re: Poema Melancólico a não sei que Mulher
Parabéns,
Uma belíssima construção
poética.Abraços fraternos,

Mary Jun

Links patrocinados

Visite também...