Poemas, frases e mensagens de luciahlopez

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de luciahlopez

LUA FRIA

 
LUA FRIA

Por que tudo morre em mim
Quando esta lua fria finge um sorriso de lua morta
E esta chuva pesada desaba a
Via Láctea esfarelada sobre meus medos?!...

Escuto ecos da minha alma
Feito sinos, diluindo-se num buraco negro
Onde a tristeza leva meus sonhos...

Antítese da alegria,
Perplexas dúvidas em bolhas dolorosas,
Parindo aves tristes e mudas
Com suas asas de pedras
Talhando com seus bicos
Na rocha pura, o seu próprio esquife...
 
LUA FRIA

O Amor

 
O Amor
 
 
O Amor

______ é amor
o que trago nas mãos para curar as tuas feridas...
mas também é amor
a violação da tua pele_____ e do teu corpo febril,
a duelar com o meu - a espada e a bainha
sem saber quem tem razão!

O amor é suplício, martírio,
tortura...

É sofrimento que a noite lava em águas de gozo insano,
que faz orvalho e temporal
que arde o corpo e rasga a carne e lambe o próprio sangue
temperado com o sal do teu suor?vida!

O amor também é o ressonar suave...

A mão perdida na maciez da pele...a língua morna e úmida
escrevendo poemas na tessitura que te reveste.
O amor é leve feito a brisa no fim da tarde
e tempestuoso mar de agonia e profundezas...

O amor é fel e mel ___ servidos na mesma taça!

Poesia de amor
 
O Amor

MEMÓRIA DAS FOLHAS

 
MEMÓRIA DAS FOLHAS
 
MEMÓRIA DAS FOLHAS

Da tristeza das folhas mortas
Sopradas pelos lábios do vento
Surgem as vestes pigmentadas
Entre os verdes e vermelhos.
Calor nas mãos
Paixão no olhar
Puro olhar de anjo
Entre os pincéis
Filetes de amor emoldurado
Derradeiro sonho
Papoulas, calêndulas
Lírios e delírios das tintas
No calor da cera
Eterna primavera sobre a pele.
 
MEMÓRIA DAS FOLHAS

haikai 65

 
haikai 65
 
haikai 65

espelho d'água
passeiam sombras azuis
decalques de outono
 
haikai 65

SEM IMAGEM

 
SEM IMAGEM
 
SEM IMAGEM

Isso me inspira
pira
delira
me tira o juízo
o siso
a razão.
A meia noite...
É disso que eu preciso
o teu assalto
bem alto
me jogando ao léu
Me virando
dobrando
arqueando meu corpo
desejo/tormento aceso
na tua mira,
atira...
Me fere.
Rasga a minha pele na tua unha
lacera
escreve o teu nome
a tua poesia
a tua casta.
Sou impura...
Imputa a tua arma em riste
e assiste
lentamente
o meu desfalecer
[em dor e frescor]
Manchada de sangue
sangue de apenas uma cor
que te banha a sanha
a manha
que te arranha
e sobe feito aranha
tecendo arabescos desejos - nus,
na pele tosca
que te transmuta / anjo no sonho meu - Morfeu!
 
SEM IMAGEM

Duo - Olhares

 
Duo - Olhares
 
 
Duo - Olhares

Por onde andam meus olhos
feridos por falta da sua imagem?

...andam pelo breu das noites
pelas dores e pela insônia que nos tortura...

Por onde andam meus passos
apressados para mais um encontro?

... caminham pelas calçadas de petit pavê
e pelas esquinas “encurvadas” se resguardando do frio

Por onde anda você minha inspiração?

... aqui, presa em cada verso desta poesia
em cada palavra que acalma a boca
assim, como uma saudade que não vai ter fim...

.
Faisal Iskandar e Luciah Lopez

.
foto: Faisal Iskandar / Série Acqua Urbes

Dueto
 
Duo - Olhares

...da tua boca

 
...da tua boca
 
anda o sol___________entre as nuvens escondido
e o olhar a prometer (enlace!) beijos e sonhos
que valem feito um tesouro
entre brumas e noites de fino cetim...
 
...da tua boca

DEUSES

 
DEUSES
 
Bebo da tua boca
A gota inequívoca
Do vinho
Que me embriaga
E me entontece.
Aquece-me
Na voluptuosidade
Que carece do aconchego
Do teu peito.
Amado meu,
Passeia-me entre os delírios
Crescentes
Da noite aquietada
Pela paciência da lua cheia.
Beba do meu sonho,
Compartilha da loucura que
Navega no meu mar revolto,
Ansioso,
Maremoto de amor,
Rosa carmesim
Que se entreabre ao seu toque...
Há mais que um simples
Amanhã,
Há o tempo sobreposto
Que nos mantém
Reféns
Um
Do outro
Entrelaçando os nossos corpos
Ateando fogo
Às nossas almas famintas
Tornamo-nos deuses...
 
DEUSES

EU TE AMO

 
A tua presença em mim
É como a sístole e a diástole do coração do universo.
A pulsação do coração de Deus
Porque eu te amo.
Acima de tudo – eu te amo!

...para L.
 
EU TE AMO

DEPOIS DO AMOR

 
DEPOIS DO AMOR
 
DEPOIS DO AMOR

Ainda que eu pudesse arrancar você
De dentro de mim
Ainda assim
Eu não o faria.
Não rasgaria meu coração
Não faria sangrar minhas veias
E correr meu sangue a expulsar de mim
As tuas partículas
As tuas lembranças
A loucura da tua boca na minha
As tuas mãos ardendo minha pele
E o calor do teu corpo sobre o meu
No compasso acertado do gozo
E do riso.
Ainda que eu pudesse
Esquecer o teu gosto
E o teu cheiro depois do amor
Eu não o faria
Tudo esta impregnado em mim
Assim como os teus carinhos
Estão bordados em minha pele
Únicos em mim
Únicos na noite e no dia
Como o teu olhar
É único na luz da manhã que me acorda.
Ainda que eu pudesse
Calar minha voz
Eu não o faria
Pois a minha voz diz o teu nome
Na cadencia das horas
E no sopro de uma brisa o meu beijo
Te toca
De leve meu beijo ainda te toca os lábios
Bem de leve...

[...]De leve meu beijo ainda te toca os lábios.
 
DEPOIS DO AMOR

O Por-do-Sol

 
O Por-do-Sol
 
Apenas aquele que conhece os enigmas de Deus é sabedor dos caminhos do sol.
Nossa atuação de meros espectadores
não nos impede a generosidade de dar a forma e
validar sem receio algum
a 'viagem do sol" - pois,
as esperanças apenas adormecem em seu ciclo
sem com isto
interromper uma nova manhã e
toda alegria que nos permite um pouco mais de vida/felicidade.

foto: LL (Lapa-Pr)

[...]Nossa atuação de meros espectadores
não nos impede a generosidade[...]
 
O Por-do-Sol

VOAR, APENAR VOAR...

 
voe comigo...
Levo você em minhas asas
Sobre as núvens brancas
Algodão e seda
Esfiapadas...
Levo você sobre as areias
De qualquer deserto
Vermelho/dourado
Do pó de cada olhar...
Voe comigo...
Levo você sobre as planícies
Onde o vento/cinzel
Escava as ranhuras da terra
Deixando escorrer a lágrima
Que mata a sede.
Levo você
Sobre o veludo verde
Esmeraldas perdidas
Pedras polidas
Nascidas do veio silencioso
Sem gemidos, sem carícias...
Voe comigo através das estrelas,
Te dou um cometa,
Uma gota de água
Dos mares da lua.
Voe através do meu olhar
Até onde a inexistência
Deixa suas marcas
Voe através de cada marca
Da minha pele,
Cada respirar,
Cada sonho,
Cada gesto de mais viver...
Voe comigo,
Seja a eterna vibração
Deste amor sem dimensão.
Seja a verdade ante a meledicência
Seja o sorriso ante a dor,
Seja a certeza ante a demora
Do saber.
Seja a presença da alegria ante
Cada hora de solidão.
Voe comigo através da noitidão
Da alma
E pouse na serenitude
De um único olhar de amor,
Razão da minha existência
Diante da sua.
Voe através de mim!...
 
VOAR, APENAR VOAR...

UM SILÊNCIO AZUL

 
UM SILÊNCIO AZUL
 
Silêncio!
O tempo agora dorme
E as horas são presas num tear
Ponto a ponto
Enovelando nossos destinos
Nas mãos daquelas que fiam.
Silêncio!
O memento a seguir é mágico
E os sonhos são as estrelas
Que desenhei pelo céu e
Pintei de azul os meus sapatos
Para caminhar nos teus sonhos
E levar a poesia límpida
Que floresce.
 
UM SILÊNCIO AZUL

NOITES E AGONIAS

 
NOITES E AGONIAS
 
NOITES E AGONIAS

Em minhas mãos
As curvas da navalha desbeiçam a dor
Que estrebucha na transparência do teu olhar
De negra madrugada
Sempre a me perseguir.

No limiar da tua boca
Um beijo escorrega___________grito
Que reclama sem ter paz!!

Sorriso rasgado e jogado no lixo
Capaz de eternizar
O meu ser transfigurado
Ajoelhado diante do espelho quebrado...

Em minhas mãos
A solidão e as sementes de mostarda
Paraíso da tua agonia
Saciando a demência da carne
Verbo alegria sem amor.
 
NOITES E AGONIAS

FINITUDES

 
FINITUDES
 
FINITUDES

Há uma parte de mim
que voa_________________________________ além de todos os horizontes
Além de todas as ideologias e todas as cores
e todas as etnias e todo inconsciente interpela o oculto
que os olhos não podem ver
nem ouvidos podem escutar
e tão somente, sentir com o coração
de pássaro que nos habita.
 
FINITUDES

TRANSPARENCIAS

 
TRANSPARÊNCIAS

Vestida de vinho
Somente para você,
Porque me esquecerei inteira
Deitada
Como quem ensaia um riso,
Um desnudo mistério
A lamber o sal do teu suor.
Uma dança
Uma lambança
Da tua boca na minha
Saciando a fome das uvas maduras
Apenas nos amando
Enquanto lá fora, as bombas explodem!
E sobre nós
Os meus finos e tintos véus
Apenas insinuam o que fazemos...
 
TRANSPARENCIAS

TEU AMOR

 
Quando você não está
eu me sinto perdida e só.
Te procuro
entre as ranhuras
da minha pele.
Pele nua e almiscarada
Pele tua.
Te procuro
por entre os matizes do arco íris
em cada flor que se abre
em cada fruto maduro
da tua boca
eu te procuro.
Da tua manha
e das tuas manhãs
eu faço parte
e nas toadas do vento
meu nortunal olhar
te desenha contando histórias
de fogaréus e aguadeiras
entre as madeiras e leiras
tua mão segura a minha mão
e adormeço enfim...

Quando você não está
eu me sinto perdida e só.
Te procuro
entre as ranhuras
da minha pele.
Pele nua e almiscarada
Pele tua.
Te procuro
por entre os matizes do arco íris
em cada flor que se abre
em cada fruto maduro
da tua boca
eu te procuro.
Da tua manha
e das tuas manhãs
eu faço parte
e nas toadas do vento
meu nortunal olhar
te desenha contando histórias
de fogaréus e aguadeiras
entre as madeiras e leiras
tua mão segura a minha mão
e adormeço enfim...
 
TEU AMOR

EU TE AMO

 
Há uma linha tênue entre a sua existencia e a minha...

Um cometa que passou
acendeu a minha loucura dócil
e fez nascer asas em minha condição de anjo.
Clareou a luminiscência da minha íris
dilatou minhas pupilas diante da sua luz.

Neste céu de manto escuro
mirídes fosforecentes desenham labirintos
onde a musicalidade das suas mãos
me faz dançar entre os anéis de Saturno...

Há um profundo bem querer
e a sua silenciosa presença entre as minhas páginas,
entre os meus escritos...
Em cada letra desenhada - apenas a reverência
ao amor que te tenho.

Uma quietude que de eterna tem o tempo
dobrado na palma da minha mão
quando ainda sonolenta
acendo os meus olhos e procuro o seu semblante.

Neste viés de tempo/fragmentado
calcado a ferro e fogo
te deixo percorrer os meus infinitos sonhos
e te dou a cada instante
apenas o que guardei de mim/nós dois...
...eu te amo!
 
EU TE AMO

TRAJETÓRIAS

 
QUANDO O CALOR DA LÍNGUA
DERRETE A CERA – LÁGRIMAS.

AINDA ESCORREM
SOBRE OS MEUS PANOS BRANCOS
O SANGUE DAS TUAS PALAVRAS
CARREANDO A MINHA DOR
ENTRE A SOMBRAS DAS CATEDRAIS
ANÉIS DE VIDRO COLORIDO NOS MEUS DEDOS
FAISCAM CORES
RISCAM LABIRINTOS NO PÓ DOS TEUS PASSOS
ENQUANTO REESCREVO A TRAJETÓRIA
DAS SEMENTES DE MANDRÁGORA.
LÁ FORA
CHOVE UM FRIO INTENSO
E NAS LABAREDAS NEM MESMO O VENTO ESCREVE/DESCREVE
O MATRAQUEAR DAS BOCAS TESAS [OBSOLETAS!]
QUE MORDEM MALDIÇÕES ANTES DO NASCER DO SOL.

DENTRO DE MIM
UMA AFLIÇÃO QUE SÓ O TEU BEIJO ACALMA
SUFOCANDO O GRITO ANCESTRAL QUE TRAGO N’ALMA.
 
TRAJETÓRIAS

ANTIGOS SEGREDOS

 
ANTIGOS SEGREDOS
 
Que se______________calavas.
Da tua boca nada fugia
e teus segredos___________dos teus olhos caíram;
es_
co_
rer_
ga_
ram.

POESIA
 
ANTIGOS SEGREDOS

Luciah Lopez