https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

mulher

 
a propósito do dia internacional da mulher que se celebra a 8 de Março e lembrando Engels quando afirma que... “o homem é o burguês e a mulher o proletário…”, escrevi o poema que segue e foi editado na revista "o escriturário" do Porto, em Março de 1978


mulher de rosto dorido…

tu que és a primeira que se levanta
e a ultima que adormece;

tu que és a bandeira da vontade
e a mágoa que permanece;

tu que és o segredo da semente, fruto, raiz
e da liberdade que se alcança;

perdoa as dores da ingratidão
- de que és vítima –
em cada lugar, mundo, país


================================

com dedicatória às mulheres da minha familia que lutaram e venceram as contrariedades da vida, a todas aquelas que souberam elevar a voz,
romper conceitos e conquistar a legitimidade dos seus direitos,da sua liberdade.

================================



 
Autor
João Videira Santos
 
Texto
Data
Leituras
659
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
5 pontos
5
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
ROMMA
Publicado: 07/03/2010 16:10  Atualizado: 07/03/2010 16:10
Colaborador
Usuário desde: 29/10/2008
Localidade:
Mensagens: 2462
 Re: mulher P/ João Vieira
se todo o homem tivesse
pelo menos uma mulher dentro de si,
falaria um pouquinho
daquilo que deixas aqui...
belo momento
em memória dessa luta
que a mulher conquistou
pelos seus direitos
pela sua liberdade
pela igualdade!
gostei muito!
um beijo
Romma


Enviado por Tópico
antóniocasado
Publicado: 07/03/2010 16:43  Atualizado: 07/03/2010 16:43
Colaborador
Usuário desde: 29/11/2009
Localidade:
Mensagens: 1657
 Re: mulher
Ola

Sem dúvida um lindo poema e quase um hino à mulher.
Gostei.

antóniocasado


Enviado por Tópico
Henricabilio
Publicado: 07/03/2010 23:24  Atualizado: 07/03/2010 23:24
Colaborador
Usuário desde: 02/04/2009
Localidade: Caldas da Rainha - Portugal
Mensagens: 6963
 Re: mulher
Olá amigo João!
Bela e sensata Homenagem!...
E as evidências estão aí à frente do nosso nariz,
embora a ingratidão e a injustiça atinjam quer homens quer mulheres um pouco (ou muito) por todo o lado.
Nota alta para o poema!

Grande abraçooo!
Abílio