https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

AO DEUS DO VELHO TESTAMENTO

 




Quando meus olhos se abriram ao mundo,
e captaram da luz, a refração,
numa fração milésima de segundo,
eu já estava caindo em tentação.


Nascia comigo o desejo profundo,
no olhar, no sexo, na boca, na mão,
de haurir o prazer desse mundo imundo
e ter o pecado por religião.


Sendo avesso às regras e preceitos,
perante o fariseu puro e “perfeito”,
ouso cuspir no livro “salvação”.


Quando um dia cerrarem os olhos meus,
será somente o tenebroso Deus,
o ser pra quem eu negarei perdão...


 
Autor
Ravatsky
Autor
 
Texto
Data
Leituras
533
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.