https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

DEVANEIO : João Nery

 
 
às vezes, um desvario insólito
absorve-me o pensamento
uma vontade incontrolável
derrama-se de minhas mãos

qualquer coisa inexplicável
inebriante como o arrebol
faz-me sentir a extensão
dos eus que vivem em mim

meu pensar inútil e inexato
conduz-me ao inacessível
num ponto eqüidistante
entre o real e o devaneio

face a face, olhos e sonhos
reconheço-me em todos
e numa indizível espiral
caminhamos submissos

na incerteza desconexa
dos nossos existires.




 
Autor
JNery
Autor
 
Texto
Data
Leituras
596
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.