Poemas : 

Segredo da Noite

 
Deitada em perfumado leito de flores
Nos vapores que se erguiam da noite,
Nua o seu corpo era uma copa,
Propenso a todo e qualquer açoite.

E no meio daquela doce cabeleira,
Que eu afagava como um amante,
Vinha um cheiro de amendoeira,
Que me fazia lembrar de um mundo distante.

Tudo era amor naquela madrugada,
O mar que vinha beijar a encosta,
E meu peito se sentiu arfante,
Quando eu lhe peguei-a de costas.

E foi lânguido o nosso sentimento,
Como corpo em cima do corpo,
E pude dela ouvir um soluço,
Quando eu lhe peguei-a de bruço.

E a noite se fez infinda,
No leito de flores perfumado,
E como se não tivesse acabando ainda,
Eu lhe peguei-a de lado.


Alves Rosa

 
Autor
darosawagner
 
Texto
Data
Leituras
913
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 23/08/2010 21:50  Atualizado: 23/08/2010 21:50
 Re: Segredo da Noite
Parabens pelo poema sensual! Abraco!

Enviado por Tópico
lordbyron
Publicado: 28/08/2010 03:26  Atualizado: 28/08/2010 03:26
Muito Participativo
Usuário desde: 03/01/2010
Localidade: São Paulo/ SP- Brasil
Mensagens: 56
 Re: Segredo da Noite
Superno!