Poemas : 

Insinuante

 
Lá vem ela
Semi-nua
E sem pudor
Ondulando
Todo aquele corpo
Sedutor

Assim se insinua
A diva
Caneta
Bailarina de ofuscantes
Transparências
Rubras...

Em cada volta
Redonda
Letra a letra
Vai desenhando
O poema
Com a tinta
Que em si fervilha

E por não mais se conter
Se derrama
Por sobre a suposta
Alvura
Da virgem
E submissa
Folha!

Open in new window



*... vivo na renovação dos sentidos, junto da antiguidade das lembranças, em frente das emoções...»

Impulsos

coisa pouca

 
Autor
cleo
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1191
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Minhoto
Publicado: 17/03/2011 09:54  Atualizado: 17/03/2011 09:54
Super Participativo
Usuário desde: 07/03/2011
Localidade: Braga, Portugal
Mensagens: 105
 Re: Insinuante
Sedução, erotismo e (pro)criação sem essas palavras não existiria literatura.
O poeta um sedutor, o autor um criador, a folha um objecto erótico depois de prender a virgindade.

Gosto da tua criatividade.

Um Beijo