https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

MADRIGAL

 
Tags:  O poeta e a solidão  
 
MADRIGAL
 
Ah, pobre poeta
que a turba, indiscreta,
a rir, lisonjeia!...
Não passa de um homem
que mágoas consomem
e as grafa na areia...

Em vez de honrarias,
mercês, regalias,
que almeja, no fundo?
O “affair” necessário:
ouvir, solitário,
o ego profundo...


Sergio de Sersank
Visitem meu blog literário "Estado de Espírito"
http://sersank.blogspot.com

(Do livro "Estado de Espírito", de Sersank)

Imagem extraída do Banco de Dados do Google
 
Autor
Sergio de Sersank
 
Texto
Data
Leituras
6633
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
4
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 20/03/2011 01:38  Atualizado: 20/03/2011 01:38
 Re: MADRIGAL p/ SERSANK
ou(por vezes) "quer"/deseja/almeja:
servir. à própria letra.
(da palavra válida = autêntica linha.)



Abraço!

Enviado por Tópico
Alique
Publicado: 20/03/2011 01:51  Atualizado: 20/03/2011 01:51
Colaborador
Usuário desde: 03/08/2010
Localidade: Jundiai/SP - Brasil
Mensagens: 674
 Re: MADRIGAL
Olá Poeta,


Lindo!

Abrs.
Alipio

Enviado por Tópico
Sergio de Sersank
Publicado: 20/03/2011 03:20  Atualizado: 20/03/2011 03:21
Super Participativo
Usuário desde: 13/01/2010
Localidade: Londrina-PR BRasil
Mensagens: 159
 Re: MADRIGAL p/ o jovem poeta AZKE
Prezado Azke, Fico-lhe grato pelo brilhante comentário em metalinguagem. Meu abraço, Sersank

Enviado por Tópico
Sergio de Sersank
Publicado: 20/03/2011 03:28  Atualizado: 20/03/2011 03:28
Super Participativo
Usuário desde: 13/01/2010
Localidade: Londrina-PR BRasil
Mensagens: 159
 Re: MADRIGAL p/ o poeta Alipio Barbosa
Olá, poeta!
Obrigado pelo comentário que vale por estímulo.
Abraço,