Poemas -> Reflexão : 

Anéis de Saturno

 
Apenas para a minha própria satisfação. Nada mais. Curioso

Anéis de Saturno

Vê-los lá? Majestosos.
São teus.
Ofereço-tos, ofereci-tos.
Teus.

Venera-os, não me agradeças.
Possui-os, vá...
Teus.
Ofereço-tos, ofereci-tos.
Partilha lá com quem quiseres
- eu deixo -
Não tens por que te preocupar.

Sim.

Teus,
Dei-tos. Pensa.
Ofereço-tos, ofereci-tos.
Qualquer coisa. Reflecte.
Qualquer coisa sem entraves, vá...

Pensa.
Posse. Só tua.
Tua(só).


Como!? Luas de Júpiter?
Menos do que nada

ERRADO!Engano.
Era nada, mesmo. Só.

Algo mais (?) Só pedir.
Pedir.


Só.
Para sempre, sempre só.


E, engraçado, basta.


Rui Gomes

 
Autor
RGz
Autor
 
Texto
Data
Leituras
3896
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Ghost
Publicado: 28/04/2011 04:55  Atualizado: 28/04/2011 04:55
Colaborador
Usuário desde: 09/04/2011
Localidade: Lisboa, Portugal
Mensagens: 1820
 Re: Anéis de Saturno
Olá poeta.
Um poema intrigante, interessante e bonito.
Gostei da forma como foi escrito, é uma lufada de ar fresco por aqui. O facto de oferecer o Anéis de Saturno alguém é oferecer uma grandeza sem igual, é preciso gostar bastante para oferecer isso e muito mais.Pois basta pedir!
Abraços e Felicidades