https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Esperança : 

O Riacho

 
O Riacho
Quão extasiado eu fico ,
Pela mansidão do riacho
Que dando gritinhos
Começa bem devagarinho
Sua trajetória no mato!

Tranquilo e muito prudente
Vai dando voltas sem cansaço
Banhando terras e matinhos
Vencendo ,sem muito compasso
As rudezas do seu caminho

Assim ,também é nossa vida.
Possui a mansidão do regato
A beleza da cahoeira e do mato
A fôrça da corredeira
A não parar ..até o infinito do mar....

Rubens <br /> Reconheço

De mim conheço
E reconheço
Infinitude e nada.
Meu mar não me cabe
Se espraia além ..
Deságua em vastos oceanos
A esfera do sagrado .
É o meu plano
Mesmo nos aspectos mais profanos.
Não esqueço donde venho
E creio desde o aquém de mim
Ao presente altar
De alegria e sacrifício.
Trancendo além
Rumo a paz sem fim....

Rubens :

 
Autor
rubens j.de Oliveira
 
Texto
Data
Leituras
986
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
10 pontos
2
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 01/10/2007 18:05  Atualizado: 01/10/2007 18:05
 Re: O Riacho
Este riacho corre como quem mata a sede de um rio profundo...
Beijo
ConceiçãoB