https://www.poetris.com/
 
Prosas Poéticas : 

Devaneios

 
Semi encarquilhado
Em dorso errante
Passos arrastados
Ohos profundos
Lagos lacrimejantes
A pele ressequida,e fria
Misterioso
o seu interior
O seu balanço é neutro
Filtra os pensamentos
Sem saber o que restou
Para o que viveu
E se sabe não o diz
Eterno aprendiz
Jamais o decifrei
Agora resta a penas
A sensação vazia
Do que houve entre nós
E uma ponta de saudade
Que acontece a certos pais
Que acontece a certos filhos
Rubens

 
Autor
rubens j.de Oliveira
 
Texto
Data
Leituras
680
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
goretidias
Publicado: 02/10/2007 13:11  Atualizado: 02/10/2007 13:11
Colaborador
Usuário desde: 08/04/2007
Localidade: Porto
Mensagens: 1237
 Re: Devaneios
De qualquer forma, melhor recordar o que houve do que não ter o que recordar!
Muito bonito este texto!
Um abraço