https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

O PORRE E A CAUSA

 
Open in new window


Hoje me degusto em porções...
Bebo-me em taça de vinho,
Mas sou absinto em frações.

Degusto-me pelos olhos,
- Alucinógenos dos sentidos.
Sou um líquido sólido,
Minha bebida em petisco.

Corro o risco da morte,
Sou o porre e a causa...
Bebo-me de gole em gole,
Depois me quebro na taça.

Ivone Alves Sol



 
Autor
soldantas
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1377
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
FredericoSalvo
Publicado: 19/06/2011 22:15  Atualizado: 19/06/2011 22:15
Colaborador
Usuário desde: 23/01/2008
Localidade: Belo Horizonte - MG - Brasil
Mensagens: 1327
 Re: O PORRE E A CAUSA
E quantas e quantas vezes somos o nosso próprio o nosso próprio veneno?
Gostei do poema, Ivone.
Parabéns!
Abraço.
FS

Enviado por Tópico
Migueljaco
Publicado: 23/06/2011 02:18  Atualizado: 23/06/2011 02:18
Colaborador
Usuário desde: 23/06/2011
Localidade: Taubaté SP
Mensagens: 9762
 Re: O PORRE E A CAUSA
Boa noite Sol, seus versos narram
Uma personagem que se incrusta
Na forma mais abrangente do existir,
E se funde entre materialidade, e
Subjetividade e tem consciência
Da sua fragilidade material e da
Fortaleza espiritual que lhe compete,
Meus parabens pelo seu sapiente
Poema, MJ.