https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

É de mim

 
Tags:  fantasia    prisão    PERIGOS    sucata    matérias-primas  
 
Falo daquelas ruínas
e é de mim
do que os nossos olhos não viram
daquelas matérias-primas
a propósito da construção
do mundo
do que restou
dos perigos
que é muito
que é imenso
mas não basta
quando falo dessas coisas
de factos e mais
de ausências cruciais
inexistências
como se falasse de aparências
sem alegria
como se a poesia fosse o que falta
à fantasia
como se a fantasia fosse um estaleiro
de sucata
que avistamos da janela
da prisão perpétua.






 
Autor
Carlos Ricardo
 
Texto
Data
Leituras
1074
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
23 pontos
7
0
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Carlos_Val
Publicado: 07/11/2011 00:49  Atualizado: 07/11/2011 00:49
Da casa!
Usuário desde: 11/03/2011
Localidade: Braga a residir em Gaia
Mensagens: 421
 Re: É de mim
amigo Carlos e que bem falou o seu poema ainda que a liberdade incondicional o condene, excelente

abraço poético

Val


Enviado por Tópico
Sterea
Publicado: 07/11/2011 01:26  Atualizado: 07/11/2011 01:26
Colaborador
Usuário desde: 20/05/2008
Localidade: Porto
Mensagens: 3404
 Re: É de mim
os seus olhos vão ao fundo das coisas e reflectem-nas em cheio, em impulsos que nos acordam...

Um abraço.


Enviado por Tópico
Amora
Publicado: 08/11/2011 15:35  Atualizado: 08/11/2011 15:35
Colaborador
Usuário desde: 08/02/2008
Localidade: Brasil
Mensagens: 4763
 Re: É de mim
Olá, Carlos; eu gostaria muito de ter escrito esse poema, assim grande, assim forte, assim profundo. E com esse título que empresta-lhe todos os sentidos. Encantada.
Um beijo.


Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 04/04/2013 02:03  Atualizado: 04/04/2013 02:03
Colaborador
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 17658
 Re: É de mim
quando leio algo assim, me indago:
"porque não escrevi?". vou guardar. bjs e obrigada