https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

É manhã em Aracaius - Lizaldo Vieira

 
É DE MANHÃ – LIZALDO VIEIRA
Vem o sal
O sol
A brisa
O vento
Falando bem do meu lugar
Rua da frente
Ruídos de busu
Charrete
Carroça de burro
Passantes
Viajantes
Passageiros do tempo
É cedinho
Ainda cinto sinto sinais da velha ara
Coisas tolas e boas
Que o tempo não apaga
Nas nossas coisas
Vidas
Sabores
Cores
Amores e dores
Ruas
Becos e trejeitos de ara
Se ancorando
Acordando pra lida
Totós
Saindo
Chegando
Singrando águas mornas
Morenas
Do Rio Sergipe
De um lado pro outro
Chega se ao fundo do poço
Barra
Aracaju
Vice versa
No leito do velho Sergipe
Acotovelando gente
É um trelele
Um disse me disse
Enquanto a água sonolenta se abre a cada rasgada dos barcos
Que vão e vem
Levando a vida afora
Refazendo se preguiçosamente
Do sono de Orfeu
Aqui
Ali
Acolá
Os primeiros sinais de boas
Vindas ao sol de primavera
Que calorosamente lança se ao fundo do mar
Da rua da frente
O corre
Corre
Na cidadezinha
Está no caminho dos cajueiros e papagaios
Zé Peixe ainda arrisca seu caminhar matinal mirando a lenta passagem
Do gipão adormecido
esticando se lentamente
Pra lotar a foz de pescado e marisco
Aos tudo reanima se
O rififi
Por ali
Por aqui
Com boas a más conversas
No Tales Ferraz
Insinuando o inicio de velha rotina
Um tal de carga e descarga
Invade o beco dos cocos
A Santa rosa
José do prado Franco
O cheiro inconfundível do aragipe muído
Inpreguina todo miolo da cite
Arre que bom
Com bolacha sergipana
Barcos abarrotados de peixe chegam aos cais
Com o pescado da noite passada
Tempo de rolar o cochicho de compra e venda
Regatear o melhor preço
No perde e ganha da oferta e procura
Tempo de sonhar
Com coisa boa
De outros tempos
Que não responderemos mais
Dos botecos mal arrumados
A receita boa
Do bem conviver
Do bom bocado
Pf foi na hora
Buchada de bode
Feijoada sergipana
Na panela de barro
Mungunzá
Arroz doce
Com canela e cravo
Moqueca de frutos do mar
Comidas típicas
Doces caseiros
Caju
Bata doce e goiaba
Lá de dentro do mercado das ervas
Sopra um ventinho aromático
De cheiro bom
Plantas medicinais
Colhidas na hora
Artigos curandeiros
Fazem milagre
Garantem as benzedeiras
Ali tudo parece harmonizado
Jeito
Sabor
Calor
Tempero de um povo
Que sabe amar
À moda aracaius
Cajueiros e papagaios
Têm de tudo um bocado
De coisa do mundo
O Brasil de coisa gostosa
Da gente simples
Tinhosa
Acolhedora
Aportou por aqui
Aracaju
Uma estrelinha
Cheia de sol
De forte cheiro do mar
Um passeio mais comprido
Remando lento
preguiçomente gostoso
Sem pressa de chegar
De Toto
É coisa sem preço
Cabe tão bem
Em nosso gosto
Nos modos de vida
Da ilha de Santa Luzia
Meu ar
Minha terra
Meu fogo sagrado
E água boa de beber
Cabem direitinho aqui
Nos bucólicos
Quadrados mágicos
De Pirro
Torrãozinho de ara
Mundo total
De janelas e instalações
De braços abertos pro futuro
Mais ainda
Pra quem gosta de paz


Q U E S E D A N E C U S T O d e V I D A - Lizaldo Vieira
Meu deus
Tá danado
É todo santo dia
O mesmo recado
La vem o noticiário
Com a
estória das bolsas
Do que sobe e desce no mercado
De Tóquio
Nasdaq
São paulo
É dólar que aume...

 
Autor
Lizaaldo
 
Texto
Data
Leituras
584
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
lfracalossi
Publicado: 26/12/2011 18:17  Atualizado: 26/12/2011 18:17
Da casa!
Usuário desde: 04/05/2009
Localidade: Campo Grande -MS -Brasil
Mensagens: 447
 Re: É manhã em Aracaius - Lizaldo Vieira
Que delícia de lugar!
Que delícia de história completinha de uma gente que entre tantos vai-e-vens da vida consegue ter paz!

Beijos e um feliz Ano Novo!
Que traga muita paz, prosperidade e venha repleto de realizações.