https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Faces de Metal

 
Cultura transviada, gerações perdidas
Alienação no olhar, um rosto disforme
Metais brilhantes em faces distraídas
Flutuam em sonhos no escuro uniforme

Sementes abortadas, histórias não lidas
Placas anunciam em cores do informe
Iscas que fisgam alimentam as feridas
Do desejo que não quer ser pobre

Fones de ouvido silenciam a voz do mundo
Invadem o pensamento obscuro e vazio
No cotidiano que não se respira um segundo

Peles marcadas na cor de um desenho profundo
Cicatrizes do futuro de um tempo doentio
Lágrimas tardias fazem o espelho ser imundo


Murilo Celani Servo

 
Autor
murilocs
Autor
 
Texto
Data
Leituras
690
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
4
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 01/12/2012 14:48  Atualizado: 01/12/2012 14:48
 Re: Faces de Metal
O espelho não é imundo...na verdade,nossos olhos que ofuscados não conseguem ver...esfregue os olhos,respire,reabra-os..olhe com atenção...e ali no espelho verás que o mundo é lindo..que a vida é maravilhosa.Grande abraço.parabéns!

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 03/12/2012 12:49  Atualizado: 03/12/2012 12:49
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29334
 Re: Faces de Metal
O espelho nos reflete, mostra noss ser, encanto de poema, beloo

Enviado por Tópico
Isolda
Publicado: 09/09/2014 00:34  Atualizado: 09/09/2014 00:34
Participativo
Usuário desde: 09/01/2013
Localidade:
Mensagens: 32
 Re: Faces de Metal
Profundo. Gostei demais. Quantas vezes seguimos alheios e deixamos de perceber o que acontece a nossa volta, pela pressa, por olharmos apenas para o nosso mundo, por uma série de razões.
"Fones de ouvido silenciam a voz do mundo
Invadem o pensamento obscuro e vazio
No cotidiano que não se respira um segundo"
Parabéns!

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 25/09/2014 02:02  Atualizado: 25/09/2014 02:02
 Re: Faces de Metal
*uma reflexão interessante e colocada com propriedade.
o avanço tecnológico 'mina' a sensibilidade por vezes.
bem construído. gostei muito.
beijoka*