https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

margens gêmeas

 
margens gêmeas
 
O que dói está à flor dos olhos;
mareja vôos suando asas,
ardendo febres,
gemendo pios
d’um pouco de si.

O que dói é esta casca separada
do cerne; a argúcia do alburno
não é clara e macia.

O que dói faz meandros
carregando tudo,
pra perder num mundo maior.

Ai... Cai a pálpebra!

A moldura do lago,
margens gêmeas
não têm imãs;
não há ligas
de palavras
atraindo
poesias.



O que, às paredes, confesso.

 
Autor
MarySSantos
 
Texto
Data
Leituras
661
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 06/03/2013 18:15  Atualizado: 06/03/2013 18:15
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29310
 Re: margens gêmeas
Um poema lindo palavras magicas