https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Misturas desconhecidas

 
O pum pum do coração
E a dor de dizer não,
Está a passear um anão
Que leva na mãozinha o seu cão.

Está um palhaço a brincar
Com os seus balões a voar
Nesses balões até podemos sonhar,
Sonho esse de nunca chorar.

Um urso está a morrer
Mas antes de isso acontecer,
Ele vai ter de crescer
Porque ele é pequeno de dizer.

Um homem está a rir
De uma coisinha que é para se divertir,
Mas sem saber ele começou a rugir,
E em francês teve de se “punir”.

Há no ar um odor,
Odor esse que tinha um bom sabor
Também há amor,
Essas coisas que era um grande favor,
Favor esse que metia pavor.

No meio de um largo um senhor,
Senhor esse que de estátua podia estar
E o dinheiro no chapéu estava a aumentar
Essa estátua que fingia ser um escritor.

Ele no céu estava a escrever,
Que era bom o passado rever,
Nessa escrita estava a surgir,
A surgir algumas coisas que faziam rir.

Há gaivotas que estão a pairar,
Um tubarão que está a nadar
Esse nadar ao pé de um avião,
Avião esse que era de um cão.

 
Autor
Coracao_Imortal
 
Texto
Data
Leituras
426
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.