https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Amor : 

Riacho. . .Rio. . .Morte

 
Riacho que nasce na cordilheira

Desce ágil, como sereia serpenteia

Abri sulcos em seus caminhos

Desliza veloz, como ave, a fugir do ninho


Queda abrupta desaba ferozmente

Formando maravilhosa cachoeira

Agora deixa de ser sereia

Se ave fosse, seria um condor


Defluindo em amor

Fim da queda, ele descansa

Segue em frente sua jornada

Correm livre suaves águas mansas




Águas límpidas e cristalinas

Mas quando chega a tempestade

O que era bom vira maldade

Enfurece-se em desafio

Arranca rochas, ruge sombrio

Como a dizer, aqui estou eu!


O tempo passa e finalmente

Com as correntes não tão forte

Não como nasceu, chega docemente

Ao seu destino. . .

. . .o lago da morte.


Alexandre

 
Autor
montalvan
Autor
 
Texto
Data
Leituras
517
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.